BLOG

Como lidar com o envelhecimento dos seus pais quando você vive no Exterior - dicas importantes

08/08/2017 19:57

https://www.linkedin.com/pulse/como-lidar-com-o-envelhecimento-dos-seus-pais-quando-voc%C3%AA-marcia-sena?trk=hp-feed-article-title-share


Nos últimos 3 anos o número de brasileiros que deixaram o país em função da crise aumentou drasticamente. No passado a predominância era daquele imigrante que ia em busca de um sonho de riqueza fácil, mas hoje pode-se ver uma maior participação do imigrante qualificado, sendo que de 2000 a 2015, o número de brasileiros com alta qualificação pelo mundo cresceu 115%. Para muitos expatriados esta emoção é sombreada pela perda da família que deixam para trás. Dizem que a ausência faz o coração ficar mais afeiçoado, mas é difícil negar o dilema de dizer adeus aos pais envelhecendo.

Os relacionamentos com os membros da família são cruciais na preservação da auto-identidade para adultos e crianças expatriadas - especialmente quando a cultura do país de anfitrião é desconhecida ou confrontadora. Ser capaz de "ser você mesmo" com as pessoas que o conhecem, é algo reconfortante e mais comumente presente entre os membros da família.

Nossas relações com os membros da família sofrem mudanças constantes. A maioria de nós se recorda de ser dependente de nossos pais quando crianças e independente deles quando adultos. O que a maioria de nós não considera é que a idade e a doença podem resultar em pais idosos cada vez mais dependentes de nós, seus filhos adultos. Ser um expatriado não muda essa dinâmica.

Então, como você pode manter o relacionamento e dar apoio aos pais idosos enquanto vive em outros continentes? Cada situação é única, mas esta lista é um ponto de partida que enfatiza os dois fatores mais importantes no cuidado de pais sendo um expatriado: comunicação e planejamento.

Use a Tecnologia ao seu favor
Distância não precisa ser o fim das relações. Programar uma chamada semanal por Skype com os pais e avós é uma maneira ideal para manter um contato regular. Netos podem compartilhar os destaques de sua semana. Questões práticas, como planos de tratamento de saúde e arranjos de férias, podem ser discutidas em detalhes. Os membros da família podem permanecer ativamente envolvidos na vida uns dos outros sem estar fisicamente na mesma casa.

Dê um passo para trás no tempo
Para pessoas mais velhas que não abraçaram a Internet e os telefones móveis, manter contato levará mais tempo, esforço e planejamento. Conversas telefônicas semanais, cartões de aniversários e eventos especiais, cartas com fotos e desenhos de netos, cartões postais de férias - tudo indica aos pais / avós que você está pensando neles e fazendo o esforço para manter contato.

Feriados, Natal, Revéillon e férias
Ser capaz de passar tempo físico com os pais idosos vai depender de distância, finanças, desejo e tempo livre disponível. Para muitos expatriados, os cortes nos contratos de trabalho resultaram na perda de férias familiares anuais previamente financiadas para o país de origem do empregado. Como resultado, muitas famílias não são mais capazes de pagar viagens anuais aos seus países de origem para visitar parentes mais velhos. Como opções alternativas vale a pena considerar planos para visitar uma vez a cada cinco anos; custear a viagem dos pais para irem visitá-los no exterior; escolher destinos de férias no meio do caminho com ambas as partes dividindo os custos de viajar apenas metade da distância. Se realmente não conseguir passar as férias e festas com os pais, procure uma empresa que possa supervisioná-los durante o período que você estiver viajando.

Nomeie um gestor (profissional/empresa ou da família)
A dinâmica familiar é complexa e é até base para filmes, livros e problemas de saúde mental. No entanto, em cada família geralmente há um indivíduo mais prático que acaba por ser identificável como a pessoa que todo mundo procura em tempos de estresse familiar. Tomara que um desses viva perto de seus pais e esteja disposto a assumir o papel de gestor da família. Certifique-se de que eles estão cientes de que você estará confiando neles para obter informações factuais sobre seus pais, se sua independência e saúde se deteriorarem. Mais importante de tudo é garantir que o gestor da família saiba que você os aprecia e reconhece o papel difícil que lhe foi atribuído. Caso você não tenha uma pessoa da família ou um amigo que cumpra essa função, já existem no Brasil empresas que podem fazer esse papel de maneira profissional e confiável.

Tudo é uma questão de planejamento
Incentive seus pais a serem pró-ativos no planejamento de seu próprio envelhecimento. Discutam o quanto antes sobre preferência de se mudar da casa grande com várias escadas, jardim que exige alta manutenção e banheiro com spa pouco prático, para um local menor e térreo ou se vão fazer uma reforma para adequação da residência ao processo de envelhecimento (aging in place). Essa discussão deve acontecer o quanto antes. Da mesma forma, decisões jurídicas, incluindo a nomeação de uma procuração a um membro da família, a redação de um testamento vital, a definição de planos para cuidar de um cônjuge que sobreviva ao outro e a existência de um testamento atualizado - são tarefas que precisam ser concluídas enquanto seus pais podem expressar seus desejos plenamente. Lembre-se que a demência pode esgueirar-se lentamente, mas de repente pode tornar a pessoa incapaz de fazer seus desejos futuros conhecidos.

O significado da vida
Um problema significativo para os idosos na terceira idade é o isolamento e a solidão. Este é o tempo que seus pares, amigos e familiares, morrem ou ficam incapacitados por doença. O contato social e um propósito de vida são importantes para todos em todas as fases da vida. Pergunte a eles quem eles tem visitado ultimamente. Incentive-os a se associar a clubes, fazer algum trabalho voluntário, ir a igrejas, programas de exercícios - coisas pelas quais eles manifestem interesse, mas que precisam de um empurrãozinho para realmente irem. Com isto poderão fazer conexões novas e ter eventos sociais regulares dentro de sua própria comunidade local.

Aumento da demanda de ajuda necessária
Quando um pai torna-se incapacitado e começa a necessitar de mais ajuda, certifique-se de que profissionais de saúde, cuidadores, empresas responsáveis pela gestão do dia-a-dia dos seus pais têm seus contatos e sabem que você quer fazer parte do plano de cuidados, mesmo que você viva em um país diferente. Seu gestor de família deve ir a todas as consultas médicas para apoiar seus pais, para fornecer informações e para informá-lo sobre o resultado das consultas e exames.

Quando você é filho único
Para os expatriados que são filhos únicos, um pai doente geralmente exige que você faça uma visita prontamente para avaliar a situação. A partir de então, solicite que você seja incluído, através de chamadas Skype, se possível, em todas as consultas e retornos com profissionais de saúde para garantir que você sempre tenha informações atualizadas sobre o prognóstico, plano de tratamento e recomendações de curto prazo para seu pai. Esta informação é crucial para fazer seus próprios planos sobre visitas futuras.

Dizendo adeus
Cada expatriado deve considerar como e quando eles vão para casa se um pai ficar seriamente doente ou morrer. Faça sua pesquisa sobre o caminho mais rápido para você voltar para casa; que fundos você vai acessar para fazer esta viagem; e quem assumirá os papéis que você preenche atualmente em sua vida pessoal e profissional enquanto você estiver ausente. A morte e o funeral de um pai é um fato dolorido de se pensar, mas inevitável, que exige planejamento, portanto planeje-se o quanto antes.

Não exija tanto de si mesmo
Ser um cuidador familiar local ou distante é estressante. Viver em um país diferente significa que você não pode visitar para verificar se seus pais estão recebendo cuidados adequados e que os serviços estão funcionando como esperado. Não ser capaz de passar um tempo com tranquilidade junto de um pai envelhecendo pode causar frustração e ansiedade que irá distraí-lo de sua vida diária e se tornar uma fonte inconsciente de estresse. Tire tempo para cuidar de si mesmo, desfrutar de sua vida e manter as coisas em perspectiva. Busque ajuda profissional, seja uma psicoterapia ou uma empresa que possa aliviar o operacional de cuidados com o seu pai doente ou envelhecendo.

Sobre Márcia Sena
É especialista em qualidade de vida na terceira idade da Senior Concierge. Possui MBA em Administração na Marquette University (EUA), graduação em Farmácia e Bioquímica pela USP e Especialização em Gestão de Saúde.

Criou a Senior Concierge a partir de uma experiência pessoal de dificuldade de conciliar seu trabalho como executiva e cuidar dos pais que estão envelhecendo. Se especializou nas necessidades e desafios da terceira idade e desenvolveu serviços com foco na manutenção da autonomia de pessoas da melhor idade no seu local de convívio, oferecendo resolução de problemas de mobilidade, bem-estar, tarefas domésticas do dia a dia e segurança contra males súbitos.

Sobre a Senior Concierge
A Senior Concierge oferece serviços diferenciados e customizados que proporcionam conforto e independência à terceira e idade.
Com algumas simples adaptações para esta nova fase de vida e o suporte pontual de alguns serviços personalizados, que vão desde a manutenção da limpeza doméstica até a implantação de um sistema de assistência remota, asseguram aos que chegam à melhor idade manter a independência, sem colocar em risco sua segurança ou saúde. Trata-se de um conceito inovador pois permite que o idoso continue no comando de sua vida, o que promove a autoestima, sem perder de vista suas novas necessidades, impostas pelo desafio do envelhecimento e que precisam ser atendidas.