Categorias
Acompanhante de idosos Cuidados com idosos

Cuidados com idosos acamados

Os cuidados com idosos acamados por parte da família e do cuidador são fundamentais para garantir conforto e bem-estar dos pais e avós que tiveram a mobilidade reduzida ou perdida nessa fase da vida. 

Além do auxílio com a higiene pessoal, alimentação e locomoção, é preciso ter cuidado com outras complicações provenientes da permanência no leito.

Outro ponto que merece atenção é em relação à saúde emocional do idoso, uma vez que a pessoa acamada passa a ser muito dependente de familiares e cuidadores perdendo algo muito importante para o ser humano, sua autonomia. 

Mas nem sempre sabemos como prestar essa assistência para os idosos acamados. Por isso, a Senior Concierge preparou um conteúdo com informações importantes sobre cuidados com pessoas acamadas. Acompanhe!

Quais os cuidados com o paciente acamado?

Cuidados com o quarto

É muito importante que o quarto do idoso acamado tenha uma boa ventilação e seja iluminado. Procure deixar as janelas abertas, assim ele consegue receber luz natural. Um ambiente fechado, sem muita circulação de ar, tem mais chances de contaminação, já que a concentração de bactérias e ácaros é maior.

É ideal que o quarto tenha paredes claras, um ponto interessante em relação à pintura do cômodo é que elas podem ser usadas para gerar estímulos. As paredes laterais podem ser pintadas de cores frias (tons azuis e verdes), tons que trazem sensação de tranquilidade. 

Para evitar o acúmulo de sujeira no cômodo, o ambiente deve ter poucos objetos e móveis. O cômodo deve ser limpo diariamente, mas ao invés de vassoura, opte por limpar o chão com pano, água e produto para desinfetar o quarto. 

Os idosos acamados acabam passando boa parte do dia dentro do quarto, por isso, ele deve ser agradável e confortável para que possam se sentir bem, apesar das limitações. 

Saiba como evitar escaras

As escaras são lesões na pele muito comuns em idosos acamados ou que têm dificuldades em se locomoverem. Geralmente, as feridas aparecem na região do quadril, cotovelos, nádegas, costas e orelhas

Essas lesões ocorrem devido à pressão sobre o músculo e a pele que o corpo sofre contra uma superfície. Mas é possível prevenir ou diminuir as escaras em idosos com alguns cuidados. 

Confira como evitar as lesões na pele:

  • Mude o idoso de posição a cada duas horas, e alterne os lados do corpo (direito, esquerdo e dorsal); 
  • Observe vermelhidões na pele durante o banho; 
  • Não deixe de secar bem as dobrinhas do corpo, após o banho;
  • Estique bem os lençóis; 
  •  Hidrate bem a pele com cremes hidratantes;
  • Não massageie a pele com lesão;
  • Coloque travesseiros entre as pernas para evitar atrito;
  • Troque as fraldas com frequência. 

Cuidados com idosos acamados: higienização 

O momento do banho pode ser uma dificuldade para alguns idosos acamados por causa das limitações e dores no corpo, principalmente quando a água cai sobre a pele. Por esse motivo, é preciso delicadeza e paciência ao prestar o auxílio

Idosos que não conseguem sentar na cadeira higiênica, podem tomar banho no leito. Uma dica é começar a higienização pelas partes mais limpas e depois ir para as mais sujas. Não esqueça que o banho deve ser em um local com pouca corrente de ar para não causar pneumonia. 

Confira materiais para banho em idosos acamados: 

  • Esponjas macias de banho;
  • Bacia média com água morna com cerca de quatro litros de água;
  • Saco plástico grande para cobrir o leito;
  • Gases para limpeza dos olhos;
  • Sabonete líquido e shampoo neutro.

Precisa de auxílio para cuidar do seu familiar? A Senior Concierge conta com profissionais treinados e capacitados para te ajudar! Confira nossos serviços.

Como levantar uma pessoa acamada? 

É necessário muita cautela ao movimentar uma pessoa acamada, tanto para que não haja queda, bem como para que a pessoa que a levanta não faça um esforço excessivo.

Para isso, há técnicas que auxiliam nesse movimento com menos esforço, tais como ter uma cadeira de rodas fixada ou poltrona ao lado da cama antes de iniciar o processo.

Como hidratar e alimentar idoso acamado?

A alimentação e hidratação de idosos acamados são dois pontos importantes do cuidado. Devido às complicações que interferem a deglutição, os alimentos e líquidos podem ser aspirados pelas vias aéreas, por isso, é indicado que a alimentação dos idosos acamados seja orientada por uma equipe especializada

Idosos acamados costumam transpirar pouco e acabam bebendo pouca água, porém é importante sempre oferecer água em uma temperatura adequada e em pouca quantidade

Cuidados com a medicação

A administração correta da medição é um dos cuidados com idosos acamados essencial para evitar qualquer outro tipo de problema clínico.

Deve-se tomar cuidado para dar os remédios na hora correta e não esquecer de nenhuma medicação. Quem aplica os remédios deve saber quais peculiaridades do medicamento para saber qual a melhor forma de guardá-los 

Saúde emocional

A situação exige empatia, carinho e paciência. Se você convive com um idoso acamado, é essencial estimulá-lo a fazer coisas que o deixe feliz, mas sempre levando em consideração a capacidade de execução. 

Embora acamados, alguns idosos preservam todas as funções neurológicas. É fundamental que  pais e avós  tenham estímulos cognitivos e possam tomar suas próprias decisões, algo importante para a autoestima deles.  

Precisando de auxílio para cuidar de seus familiares acamados? Conte com a Senior Concierge

Categorias
Cuidados com idosos depressão em idosos Senior Interativo

Janeiro Branco: qual a importância da saúde mental dos idosos?

Você já ouviu falar sobre o Janeiro Branco? A campanha, marcada por ações que visam a prevenção e os cuidados com a saúde mental e emocional da população, abordam questões muito importantes para garantir o bem-estar de nossos pais e avós nessa fase de mudanças.

Discutir sobre o tema se mostra cada vez mais necessário, o mês serve como um alerta para mostrar como os transtornos mentais podem afetar a população, inclusive os idosos. Por isso, é preciso entender o conceito que envolve o termo saúde mental e saber quais sinais devemos nos atentar.

Quer saber mais sobre a campanha Janeiro Branco e a importância da saúde mental dos idosos? Acompanhe o material completo que preparamos sobre o assunto! 

Qual o objetivo do Janeiro Branco?

O  Janeiro Branco tem como objetivo envolver a população e fomentar o debate sobre o tema da saúde mental. Com isso, as ações buscam divulgar informações sobre o adoecimento emocional e levar conhecimento sobre esse problema clínico para mais pessoas. 

Criada em 2014 por um grupo de psicólogos mineiros, a campanha é um convite para que o nosso olhar se direcione para as emoções e a saúde mental sem preconceito. Dessa forma, é possível entender quais os cuidados devemos ter com a saúde e alcançar um equilíbrio mental. 

A campanha acontece em janeiro justamente por ser um mês em que as pessoas têm a prática de realizar novos planos e novos começos. Aproveitando esse clima de novo ciclo, por que não pensar em começar a cuidar da saúde mental?

Com o lema: “Quem cuida da mente, cuida da vida”, o Janeiro Branco quer barrar preconceitos acerca da saúde mental e mostrar que todos precisam de ajuda para atravessar determinadas situações. 

Os idosos sofrem mais com o abalo da saúde mental?

Com o decorrer dos anos, o cérebro sofre a perda de neurônios e de algumas conexões. Essa ação pode impactar na função cerebral e, por isso, alguns idosos já não conseguem mais desempenhar algumas atividades feitas com facilidade há uns anos. 

A falta de autonomia, a diminuição da interação social e a mudança da função social junto às alterações fisiológicas acabam colocando os maduros em um grupo de risco para desenvolverem transtornos mentais.  

Estudos de base populacional relataram que, com o aumento da idade, ocorre uma maior prevalência do transtorno mental comum, por exemplo. 

Janeiro Branco: quais são os transtornos mentais comuns em idosos?

Os transtornos mentais mais comuns em idosos são os quadros ligados à depressão, ansiedade e transtornos psicóticos, sendo a depressão considerada a causa mais frequente de sofrimento emocional na fase madura da vida. 

Quais os sinais de transtornos mentais em idosos?

No caso da depressão, os sintomas podem ser confundidos com sinais de outros problemas clínicos, uma vez que as queixas englobam dores no corpo, alterações de apetite e perda ou ganho de peso. Mas além desses sintomas, é possível perceber sinais de irritabilidade, ansiedade, insônia,esquecimento e dificuldade de concentração.  

A ansiedade pode causar preocupação constante ou nervosismo, tensão muscular ou fadiga, irritabilidade ou dificuldade de concentração. Já os quadros psicóticos podem ser sinalizados como delírios e alucinações. 

Mas, afinal, qual a importância da saúde mental dos idosos?

A chegada da fase madura traz diversas mudanças para os nossos pais e avós, a rotina era de trabalho, convivência com amigos e total autonomia. Algumas dificuldades aparecem, e assimilar a nova fase não é nada fácil. 

Por isso, a chegada da fase madura deve ser marcada pelo cuidado da mente e do emocional, afinal, não fomos preparados para lidar com algumas mudanças ao longo da caminhada. 

Uma saúde mental equilibrada resulta em uma melhora da qualidade de vida e do bem-estar, fatores fundamentais para alcançar a longevidade feliz. 

Janeiro Branco: como promover a saúde mental?

Estar presente na vida do idoso dando suporte e carinho é muito importante para saúde mental dos seus pais e avós. 

Auxiliá-los a manter uma vida ativa em que possam desenvolver estímulos cognitivo, social e físico pode ajudar a reduzir os sintomas moderados de ansiedade e depressão em idosos. 

Levar conhecimento sobre a fase madura para os pais e avós ao longo da caminhada e empoderá-los como sujeitos úteis na sociedade também faz toda a diferença para o grupo entender melhor essa fase da vida. 

E é claro, se você perceber algum dos sintomas de transtornos mentais em algum ente querido, não deixe de levá-lo ao médico para realizar o diagnóstico e tratamento.

Prevenção de transtornos mentais na prática

Pensando em promover qualidade de vida e bem-estar aos idosos, a Senior Concierge desenvolveu o Senior Interativo. Com o serviço, seus familiares idosos conseguem manter uma vida ativa e mais sociável. Assim, eles podem viver melhor, respeitando os próprios limites. 

A partir de uma vez por semana, por um período de 4 horas, um profissional especializado vai até a sua casa para realizar junto ao idoso atividades de estímulo cognitivo, social e físico. 

Isso pode incluir caminhadas, alongamentos, exposições, ir ao mercado, à feira, a consultas e exames e ao cinema com toda segurança e cuidado que eles merecem!

Precisando de suporte para auxiliar seus pais e avós? Conte com a Senior Concierge, segurança e cuidado para quem você ama! 

Categorias
Cuidados com idosos

Novembro Azul para a terceira idade

O mês de novembro é marcado pela campanha de conscientização e combate ao câncer de próstata em volta do mundo todo, o Novembro Azul. A doença é um dos problemas clínicos que mais afetam nossos pais e avós, sendo cerca de 75% dos casos no mundo diagnosticados em homens a partir dos 65 anos

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente entre o sexo masculino, atrás apenas dos tumores de pele não melanoma. Estimativas do Instituto Brasileiro do Câncer (INCA) apontam que, no Brasil, ocorre um caso a cada 2 mil homens

No entanto, a investigação precoce aumenta significadamente as chances de cura, já que cerca de 90% dos casos diagnosticado na fase inicial são revertidos. 

Além de informar sobre o câncer de próstata e estimular a ida ao médico para realização de exames, o Novembro Azul para terceira idade busca trazer o cuidado à saúde integral do homem. 

O movimento realiza ações explicativas e preventivas sobre outras doenças que mais acometem nossos pais e avós. Por isso, o Novembro Azul se mostra tão importante para promover a saúde de quem amamos. 

Qual a importância do Novembro Azul para a terceira idade?

A chegada da terceira idade é marcada por mudanças no organismo. Com o passar dos anos, os órgãos se desgastam, acarretando em alguns problemas clínicos para os idosos. Muitas vezes, devido a essa condição, nossos pais e avós ficam mais doentes do que jovens e adultos. 

O cuidado com a saúde é essencial durante toda a vida, mas algumas características da terceira idade, tornam essa prática fundamental para o bem-estar de quem amamos. 

O objetivo do Novembro Azul é levar informações acerca do câncer de próstata e outras doenças comuns no homem. Além disso, as ações do movimento incentivam a realização de exames e idas ao médico especialista

Sabemos que, historicamente, os homens vão menos ao médico se comparado às mulheres. No caso do câncer de próstata, o preconceito e a falta de informação do passado fizeram com que o sexo masculino tratasse a doença como um certo tabu, deixando de se examinar e de se preocupar com o problema clínico.  

As ações realizadas por instituições, como coletas de exame de sangue, medição de pressão arterial e outras medidas de prevenção à doenças servem para nos alertar.  O Novembro Azul é um lembrete de que devemos nos cuidar e cuidar de quem sempre nos deu suporte e apoio.  

O que é câncer de próstata? 

O câncer de próstata é um tumor que ocorre na glândula (próstata), presente apenas em homens. O pequeno órgão está localizado abaixo da bexiga. Segundo especialistas, a doença está muito relacionada ao envelhecimento masculino e é considerado um problema clínico da terceira idade.  

Outra característica do câncer de próstata está ligada à divergência de comportamentos que os quadros apresentam. Há casos muito agressivos, enquanto outros têm uma evolução lenta, não causando consequências para o organismo do paciente. 

No entanto, a taxa de incidência é alto no Brasil. De acordo com o INCA, esse tipo de tumor maligno afeta 65 mil brasileiros por ano.  

Quais os sintomas e sinais

Vale destacar que o câncer de próstata não apresenta sinais na fase inicial. Por isso, mesmo quem não apresenta sintomas deve visitar o médico. 

Os primeiros sinais da doença podem aparecer apenas quando o tumor avança. Fique atento caso seu pai, tio ou avô se queixe de dificuldade ao urinar, já que, com a doença, o jato urinário costuma ficar bem fraco

Vontade de ir ao banheiro mais vezes do que o habitual, sangue na urina, dores ósseas e até insuficiência renal também são sintomas que merecem atenção. 

Prevenção: Novembro Azul para terceira idade

O câncer de próstata está relacionado ao processo de envelhecimento natural do corpo. Não há como prevenir a doença, por isso, o diagnóstico precoce na fase inicial, quando o câncer é altamente curável, é de extrema importância. E essa é uma das importâncias do Novembro Azul para a terceira idade.

Além disso, especialistas acreditam que o câncer de próstata apresenta outros fatores de riscos advindos de causas genéticas e de hábitos de vida sedentários.

Dessa forma, manter uma alimentação rica em frutas e legumes e realizar atividades físicas regularmente devem fazer parte da rotina de nossos pais e avós para que eles alcancem o bem-estar na terceira idade

Diagnóstico

O diagnóstico de câncer de próstata se dá pela combinação de dois procedimentos, são eles o PSA, um exame que verifica os níveis de proteína produzida pela próstata, e o físico, que consiste no toque retal. Caso haja alteração em um desses exames, o médico segue com a investigação ao realizar a biópsia da próstata

O rastreamento deve ser feito por pessoas do sexo masculino a partir de 50 anos de idade. Para negros e homens com histórico familiar que tiveram pais ou irmãos com câncer de próstata, é indicado começar a realizar o exame um pouco antes, aos 45 anos. A periodicidade dos procedimentos é anual. 

Outras doenças comuns em homens na terceira idade 

Entre as doenças comuns em homens na terceira idade podemos citar diabetes, disfunção erétil e hipertensão arterial. Questões ligadas aos hábitos de vida e a diminuição das capacidades funcionais dos órgãos são algumas das causas para os idosos apresentarem essas doenças com grande incidência. 

O movimento Novembro Azul é uma ótima forma de educar a população e incentivar bons hábitos de vida. Aproveite esse momento para informar e cuidar de quem sempre esteve fazendo isso por você, seus pais, tios e avós. Para isso, conte com o apoio da Senior Concierge.

Categorias
Cuidados com idosos

Doenças mais comuns em idosos: Veja os cuidados

Ver nossos pais e avós com saúde é motivo de alegria, afinal, queremos o melhor para quem sempre cuidou da gente. Mas as mudanças do organismo causada pela chegada da terceira idade podem trazer algumas complicações clínicas, afetando o bem-estar de nossos familiares. Entre as doenças mais comuns em idosos, podemos citar diabetes, hipertensão, incontinência urinária e doenças respiratórias, como pneumonia

Isso porque, a partir dos 40 anos, o nosso corpo começa a apresentar alguns sinais de “desgaste”, condição que vai aumentando com o passar dos anos. A consequência desse fator é a diminuição da capacidade funcional e, por isso, algumas implicações clínicas acabam sendo mais frequentes em pessoas maduras. 

Pensando nisso, a Senior Concierge preparou um texto com as doenças mais comuns em idosos. Saiba causas e prevenção que podem ajudar na saúde de seus pais e avós. 

Doenças mais comuns em idosos:

Diabetes 

A diabetes é uma das doenças mais comuns na terceira idade. Se você perceber que seus pais ou avós sentem constantemente tontura, fraqueza, delírio e confusão é preciso ter atenção. 

De acordo com a última pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, quase um terço dos diabéticos têm 65 anos ou mais, sendo a mais comum a diabetes tipo 2. Uma das causas da incidência nesse grupo está relacionada à fabricação de insulina, que cai com o passar do tempo.

A diabetes pode levar à cegueira, problemas renais e amputações. Uma rotina com atividade física orientada e controle alimentar são fatores fundamentais de prevenção. 

Se por ventura seu ente seja diagnosticado com a doença, é preciso ter alguns cuidados adicionais, como ir a consultas com o oftalmologista, para verificar a questão da neuropatia nos olhos, e com o cardiologista frequentemente. 

Conheça o serviço Leva e traz da Senior Concierge, garantindo todo cuidado para levar seus pais e avós a consultas médicas e exames.

Incontinência urinária

Quem convive com pais e avós sabe que a presença de incontinência urinária pode afetar o bem-estar de pessoas maduras. A condição não causa dor, mas é caracterizada por escapes de urina ao realizar leves esforços ou atividades diárias

Os efeitos da doença podem ir além de problemas físicos, uma vez que os maduros podem perder a vontade de sair de casa e de realizar atividades por constrangimento e medo de não encontrarem banheiros por perto. 

A incontinência urinária tem uma propensão maior a acometer os idosos devido às alterações do trato urinário relacionadas ao envelhecimento, como enfraquecimento dos músculos da bexiga, aumento da próstata, no caso dos homens, e enfraquecimento dos músculos pélvicos nas mulheres.  

E como ninguém quer ver os pais e avós passando por problemas físicos e emocionais, é preciso tomar alguns cuidados para reverter a situação. Realizar exercícios ajudam a reforçar a musculatura do assoalho pélvico. Além disso, o tratamento pode ser feito por meio de atividades fisioterápicas e medicamentos receitados por médicos

Na Senior Concierge, profissionais qualificados preparam atividades físicas específicas para a terceira idade alcançar bem-estar e qualidade de vida. Conheça nosso serviço de Ginástica Booster clicando aqui! 

Hipertensão 

Outra doença que acomete muito nossos pais e avós é a hipertensão. Estima-se que 60% dos idosos possuem pressão alta. A condição não costuma manifestar sintomas, por isso, a importância das consultas de rotina para a descoberta do diagnóstico. 

Já falamos por aqui que o corpo sofre alterações com o passar dos anos. A aorta, por exemplo, devido a menor produção de colágeno, pode ficar mais rígida levando ao aumento da pressão arterial. 

A pressão alta não controlada se mostra como umas das principais causas para a ocorrência de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca. Por isso, os idosos que possuem a doença devem manter hábitos e uma rotina mais saudável que induzam  à redução da pressão arterial. 

Diminuir o consumo de sal, evitar alimentos gordurosos, ir ao médico regularmente, verificar a pressão arterial com frequência  e praticar atividade física são ações que podem ajudar.  

Confusão mental 

Se seu ente querido esquece as coisas, não reconhece algumas pessoas e não consegue conversar sem se distrair é preciso ficar atento aos sintomas, principalmente porque os sinais de confusão mental podem ser confundidos com outros problemas clínicos.

O estado de confusão mental é uma das doenças mais comuns em idosos. O estado de alteração cognitiva do paciente é caracterizado pela redução da capacidade de concentração, podendo ser causado por doenças neurológicas,  AVC ou mesmo infecção urinária.

Quadros paranóides também podem ocorrer, no qual o idoso passa a achar que está sendo perseguido, podendo ser um momento bem difícil que requer cuidados adicionais.  

A busca de ajuda especializada nesse momento é de suma importância, o diagnóstico médico e auxílio de um cuidador são indispensáveis, segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 

Tenha suporte especializado para quem você ama com a Senior Concierge. Saiba como podemos te ajudar.

Doenças respiratórias na terceira idade

Doenças respiratórias são comuns na terceira idade. Isso porque, com o passar dos anos,  o pulmão fica menos elástico, diminuindo a capacidade de limpar impurezas do ar. Além disso, alguns hábitos de vida na juventude, como contato com ar poluído e tabagismo podem refletir em doenças com a chegada da idade. 

Pneumonia, bronquite, asma e enfisema pulmonar estão entre os problemas clínicos que mais acometem os idosos. As doenças devem ser acompanhadas por médicos e os tratamentos são específicos para cada condição. 

No geral, os recurso terapêuticos envolvem usar medicamentos e evitar o contato com elementos que desencadeiam crises respiratórias. Por isso, é importante  manter o ambiente arejado, tirando poeiras e pelos da casa. 

Cuidados

Chegar à terceira idade faz parte do ciclo da vida, mas ver algumas mudanças em quem amamos causadas pelas transformações do corpo não é fácil. O que podemos fazer nesse momento é colaborar para que nossos pais e avós sejam ativos, recebam carinho e cuidados para passar por essas complicações da melhor forma possível. 

E lembre-se: caso identifique os sintomas citados acima em seus entes queridos o atendimento médico é indispensável para a realização do diagnóstico e do tratamento . 

A contratação de home care pode ser uma solução para companhia e cuidado com seus pais ou avós. Clique aqui e conheça todos nossos serviços! 

Categorias
Cuidados com idosos

Cuidados com idosos em casa: confira dicas que podem te ajudar

Muitas vezes, a rotina dos idosos exige cuidados adicionais, seja na atenção extra ao preparar uma alimentação ou na cautela ao passear em ruas com buracos e degraus, que podem trazer riscos de queda, com o seus pais ou avós. E quando as mudanças causadas pela chegada da terceira idade transformam o corpo, é preciso adaptar o ambiente e os hábitos da família. 

Mas uma coisa é certa: os cuidados com idosos são muito importantes para proporcionar bem-estar e qualidade de vida a quem sempre cuidou da gente

Colaborar com a saúde física e mental de seu ente querido é possível, mas para isso, é importante ter conhecimento acerca das necessidades que ele precisa. Pensando nisso, a Senior Concierge preparou um texto com dicas que podem te ajudar! Confira a seguir.

Cuidados com alimentação 

Manter uma alimentação saudável é importante em qualquer fase da vida. Todavia, quando estamos mais maduros, manter a hidratação e uma alimentação rica em nutrientes são aliados ainda mais importantantes para uma longevidade ativa. 

Por isso, ingerir alimentos naturais, ricos em fibras e nutrientes ajudam a prevenir doenças que são acentuados nessa fase, como diabetes, hipertensão e osteoporose. 

Alguns problemas ligados à dentição podem impedir que os idosos consigam manter uma dieta rica e saudável. Além disso, as mudanças no organismo, como a redução do olfato e do paladar podem contribuir com a falta de apetite que a população mais madura costuma sentir. 

Desta forma, ingerir alimentos com alto valor nutricional e, dependendo da limitação, de fácil deglutição, são importantes para manter uma vida saudável. 

Veja algumas dicas:

  • Reduzir sais e açúcares da dieta é uma recomendação para todas as idades, mas cuidados como este devem ser reforçados na terceira idade!
  • Já na lista de alimentos que não podem faltar na mesa dos maduros  estão os leites e derivados. Segundo especialistas, essas comidas são as principais fontes de cálcio.
  • Frutas, verduras e legumes são alimentos ricos em fibras, vitaminas e sais minerais, elementos que ajudam no bom funcionamento do trato intestinal e aumentam a imunidade.

A Senior Concierge possui uma equipe especializada para oferecer todo o suporte que você e sua família precisam. Entre em contato com a gente para saber mais! 

Cuidados com a hidratação 

Você já bebeu água hoje? A hidratação é um assunto que nem sempre prestamos a devida atenção, mas é extremamente necessário! E esse cuidado deve ser reforçado na terceira idade, pois manter o corpo hidratado é essencial para o bom funcionamento do organismo dos idosos. 

A desidratação em pessoas da terceira idade é algo comum. A condição pode estar relacionada ao uso de medicamentos que induz o paciente a urinar mais vezes e também a diminuição da porcentagem de água no nosso corpo com o avanço da idade. 

Segundo especialistas, nessa fase da vida, o consumo adequado de líquidos pode evitar confusão mental, problemas de constipação e queda de pressão arterial. 

Acompanhe algumas dicas que podem ajudar seus pais ou avós a ficarem mais hidratados:

  • Incentive a ingestão de água. Uma boa forma de fazer isso é oferecer copos pequenos e com pouca quantidade de líquido várias vezes ao dia. 
  • Vale também preparar sucos de frutas cítricas ou águas saborizadas com fatias de frutas.
  • Acrescente alimentos ricos em líquidos, como melancia, laranja e morango na dieta. Essas frutas podem estar mais presente no preparo de sucos e água saborizadas. A água de coco é uma opção para repor os sais minerais de uma forma natural. 

Cuidados com idosos em casa

Infelizmente, muitas famílias já passaram por acidentes domésticos com seus familiares. Com as mudanças fisiológicas que acompanham a idade, desequilíbrios podem ser frequentes, tendo como consequência as quedas. 

Para reduzir a possibilidade de nossos pais ou avós sofrerem um acidente, devemos adaptar a  casa. Um ambiente confortável e seguro é essencial para trazer bem-estar e cuidado aos nossos pais e avós

Pensando em uma solução eficaz, a Senior Concierge construiu o Check-Up do Lar Senior, um serviço que presta consultoria, orientação e reforma para adequar a residência a fim de deixar o lar mais seguro e adequado. Deseja saber mais sobre? Clique aqui!

Além disso, separamos dicas do Guia viver mais e melhor elaborado pelo Ministério da saúde:

  • Evite colocar tapetes em casa ou fixe-os bem para que não tenha risco de escorregões. 
  • Coloque tapetes de borracha no banheiro, no chuveiro, em frente a pia da cozinha e em outras áreas da circulação. 
  • Procure deixar os cômodos bem iluminados, principalmente nos quartos e banheiros. Deixar a luz acesa durante à noite nos corredores também pode ajudar. 
  • É indicado retirar o excesso de móveis na casa e deixar o ambiente mais arejado.
  • As cadeiras e as poltronas devem ter apoio de braços, de costas e de assentos firmes.  A altura recomendada em relação ao chão é de 45 centímetros.

Estímulos cognitivos e uma vida ativa

Os estímulos cognitivos são caracterizados pela forma que cada ser humano tem de pensar, agir, memorizar e aprender. Entre os fatores que determinam as nossas características cognitivas estão o ambiente e a interação com ele, a linguagem e os sons.  

Os estímulos cognitivos podem ser grandes aliados para proporcionar um dia a dia ativo e feliz para a terceira idade. Isso porque eles influenciam no humor e no modo como processamos as informações. As práticas vão de caminhadas, conversas, alongamentos, a atividades lúdicas, oficinas, entre outras. 

Cada pessoa precisa de determinados estímulos. Um familiar, por exemplo, pode se sentir mais incentivado e feliz se passar um tempo por dia com uma companhia conversando. Há situações também em que eles tenham mais ânimo , caso deem uma caminhada pela manhã regularmente. 

Nosso programa Senior interativo buscar desenvolver as capacidades cognitiva da população mais madura. Nossos acompanhantes realizam junto ao idoso atividades de estímulo cognitivo, social e físico. Saiba mais aqui!

Quais cuidados tomar com idosos ao incentivar os estímulos cognitivos? 

Caminhadas e exercícios em casa

Cada estímulo cognitivo requer cuidados específicos. Ao sair para caminhar, por exemplo, evite ir em horários em que o sol está muito forte. Devemos ainda nos atentar a distância e ao local da prática. Escolha calçadas regulares que não sejam muito íngremes

É importante também sair com roupas e calçados leves e confortáveis. Para isso, pergunte ao seu familiar se o tênis está confortável e se ele se sente bem. Durante a caminhada, vale prestar atenção ao caminho e seguir o ritmo do idoso. Não esqueça de levar bebidas para ambos se hidratarem.

Há também a possibilidade de se movimentar dentro de casa a partir de exercícios e alongamentos dirigidos com a ajuda de um profissional que elabore um plano de atividades ideal de acordo com as limitações físicas de cada pessoa. 

Pequenas mudanças e cuidados no dia a dia podem fazer a diferença nessa fase da vida do seus pais e avós. E, por isso, o carinho e a atenção com nossos entes queridos são peças chave para alcançar uma terceira idade ativa e saudável.

Categorias
Cuidados com idosos Sem categoria

Saúde mental na terceira idade: sinais e cuidados!

A preocupação com a saúde mental na terceira idade dos nossos pais, mães ou avós vai muito além do físico. Às vezes a falta de um sorriso, um rosto triste ou um silêncio atípico nos tiram a noite, não é mesmo? E temos motivos: queremos a felicidade para quem nos criou com tanto amor. 

Mas o que esses comportamentos atípicos podem significar? Devo me preocupar? A saúde mental dos idosos é um ponto fundamental para que nossos pais e avós atinjam a longevidade com equilíbrio e bem-estar.

Por isso, separamos um material completo com informações que podem ajudar seu ente querido a lidar de melhor forma com possíveis obstáculos e, assim, desfrutar da longevidade de forma feliz e saudável

Saúde mental nos idosos: quando é um sinal de alerta?

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), cerca de 29,7% dos idosos são atingidos com transtornos mentais. Os sintomas das doenças psicológicas podem se camuflar na rotina e, por vezes, acabamos não dando atenção necessária aos indícios

Por isso, listamos as principais doenças e seus sintomas para que você possa aplicar e desenvolver medidas de prevenção para frear o crescimento dessas doenças e cuidar da saúde mental na terceira idade dos seus pais e avós.

Depressão em idosos

A solidão é um cenário triste e comum na terceira idade. Com familiares e amigos afastados, crises depressivas podem fazer parte do dia a dia nesta etapa da vida.

Outro fator de risco é que na terceira idade características da personalidade se intensificam, sabemos que alguns ficam mais gentis e outros mais mal-humorados. E isso é um sinal de alerta: pessoas mais pessimistas e com baixa autoestima podem ser mais propensas à depressão.

Por isso, atente-se aos sinais: indisposição, afastamento social e tristeza recorrente devem ser observados. Todo cuidado é pouco, pois a depressão pode acarretar ou mesmo agravar doenças crônicas já existentes

O tratamento para depressão pode ser feito com medicações, terapias e estímulos. Mas, o apoio da família e de amigos é fundamental para o tratamento

A contratação de home care pode ser uma solução para companhia e cuidado para seus pais ou avós. Saiba como a Senior Concierge pode te ajudar!

Demência 

Começa com um nome que deu branco, um documento que não levou para o médico de rotina, deixar os alimentos estragarem na geladeira ou o esquecimento de um endereço. A demência é uma das doenças mais comuns entre os idosos e pode ser identificada com a recorrência desses sintomas.

Gradualmente, a degeneração dos neurônios causadas pela velhice enfraquece a memória, gerando perdas de autonomia e dependência de cuidadores.

Alzheimer 

Alzheimer também é uma doença neurodegenerativa, causando a perda da memória de curto prazo e alterações comportamentais.

É uma das doenças mais comuns quando se fala de saúde mental na terceira idade, atingindo mais de 2 milhões de pessoas ao ano no Brasil e não existe cura. Apesar disso, medicamentos, estímulos cognitivos e cuidados são de extrema importância para o idoso ter uma melhora na qualidade de vida.

No início pode ser apenas o esquecimento de ter almoçado, mas que com o tempo pode afetar a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem. Nesse momento, a dependência se torna forte, a companhia para realizar procedimentos básicos de higiene e até mesmo para se alimentar se mostram necessários

Os cuidadores da Senior Concierge são preparados para cuidar com muito amor e preparos necessários dos nossos pais e avós, conheça mais sobre nós!

3 cuidados com a saúde mental na terceira idade que não podem ser esquecidos

É muito importante que, com o mesmo cuidado que nossos pais nos ajudam quando nós precisamos, nós os tratemos agora. Contudo, a vida, trabalho e rotina nem sempre permitem isso, por isso encontrar um cuidador que esteja preparado e possa acompanhar seu pai ou sua mãe durante todo o dia, seja em sua casa ou na deles, é essencial! 

Separamos mais algumas dicas para você se atentar:

1 – Desânimo 

Seu pai nunca negava uma partida de dominó de domingo e agora prefere ficar no quarto? Isso pode ser um sinal preocupante! Sintomas de humor depressivo devem ser olhados com atenção, os seus motivos e como podemos tornar mais fácil o caminho da terceira idade.

2 – Perda de memória

Qual avô que nunca trocou o nome dos seus netos? Pode parecer comum, mas se recorrente, deve ser observado. Principalmente se começar a influenciar diretamente na sua rotina, como o esquecimento de onde mora. A perda recorrente de memória pode ser um sinal para levar seus pais ao geriatra.

3 – Confusão mental

Falta de concentração, irritabilidade, agressividade são alguns dos possíveis sintomas de confusão mental no idoso. Então, se você observa com frequência a falta de atenção em uma conversa ou reações anormais, procure repassar essas situações para o médico.

Carinho é sempre o melhor cuidado

Grande parte das doenças podem ser agravadas com a solidão, um diagnóstico tardio ou a recepção negativa da família. Por isso, o melhor cuidado é sempre o carinho e a presença na vida do idoso.

Fique atento, a saúde mental deve ser cuidada com a mesma atenção dada às doenças físicas. Conte sempre com a Senior Concierge para ter esse acompanhamento de perto pelos nossos cuidadores, clique aqui e conheça mais sobre nós!

Categorias
Acompanhante de idosos Cuidadores de Idosos Cuidados com idosos Pneumonia

A importância do acompanhamento para idosos com pneumonia

Um assunto que merece atenção são os casos de idosos com pneumonia, uma doença infecciosa frequente, grave e que compromete a qualidade de vida. Com a chegada do inverno, as doenças respiratórias se tornam mais comuns em todas as faixas etárias e, em especial, na terceira idade. Por isso, o acompanhamento de idosos é essencial nessas situações, para garantir uma recuperação mais rápida e segura para os mais velhos.

Vale lembrar que a pneumonia é uma das doenças mais graves para os idosos, em virtude do sistema imunológico menos resistente e, nesse período, das condições climáticas. O ar mais seco e a tendência de locais cheios são fatores que influenciam, já que as vias aéreas perdem hidratação e os agentes infecciosos circulam mais.

Se você tem familiares mais velhos, esse é o momento de entender como auxiliar na recuperação e oferecer acompanhamento. Idosos com pneumonia podem ter sintomas menos evidentes, e a internação pode ser necessária por conta das possíveis complicações. O artigo que preparamos traz todas as informações importantes sobre o assunto. Continue conosco!

Causas e sintomas da pneumonia

A pneumonia é uma doença respiratória típica de inverno, caracterizada por fluidos nos pulmões. A infecção pode ser causada por diferentes agentes infecciosos, como vírus, bactérias e fungos, e os idosos são um grupo de risco. O contágio da pneumonia se dá por gotículas contaminadas no ar e secreções, mas a transmissão não é alta como a da gripe.

Em razão da inflamação nos pulmões, os sintomas englobam mais áreas do que as vias aéreas, sendo os mais comuns tosse e febre. A tosse pode ser seca ou com catarro, a febre vem acompanhada de calafrios e a dificuldade respiratória também é comum, assim como dores nas costas. Costuma haver, ainda, a presença de secreção.

Descubra, a seguir, como o acompanhamento de idosos é determinante no tratamento. Afinal, a pneumonia em idosos é um assunto sério: mais de 80% das mortes causadas pela doença são de pacientes da terceira idade. Portanto, essa é a hora de promover mais saúde e bem-estar aos seus entes queridos nessa etapa tão importante da vida.

Idosos com pneumonia: como proceder

Quando se fala em idosos, é necessário que a família esteja atenta aos sintomas, que nem sempre se manifestam de forma clara. O tratamento envolve o uso de medicamentos e pode demandar internação, processo que pode se tornar mais simples com o acompanhamento de idosos. As possíveis complicações precisam de ainda mais cuidado na terceira idade.

O acompanhamento pode se dar em casa ou no hospital, e garante um auxílio na recuperação da saúde do paciente. Quando falamos em idosos, a experiência com medicações é um suporte a mais oferecido pelos profissionais e acompanhantes. Idosos com pneumonia respondem muito melhor ao tratamento acompanhados por profissionais ou familiares.

Além de cuidados básicos com relação ao compartilhamento de objetos e a proteção em ambientes hospitalares, por exemplo, há medidas simples para uma vida mais saudável. Algumas dicas que podem ser aplicadas com os familiares mais velhos para evitar a pneumonia são:

  • Evitar aglomerações;
  • Evitar mudanças bruscas de temperatura;
  • Cuidar adequadamente de gripes e outras infecções respiratórias;
  • hidratação;
  • tomar os medicamentos nos horários corretos, sem interromper o tratamento.

Por fim, não neglicencie os sintomas iniciais, ainda que não pareça se tratar de um caso da doença. Há pacientes mais velhos que apresentam mal-estar generalizado, falta de ar e confusão mental, sintomas que podem acometer idosos com pneumonia.

Saiba mais sobre o cuidado com os idosos

Os idosos com pneumonia demandam atenção, em especial pelo índice de casos e as complicações que podem ocorrer. Esse grupo de risco nem sempre tem sintomas claros, e a baixa imunidade, aliada ao inverno, cria um ambiente propício para a doença se espalhar. Tosse, febre e dor nas costas são alguns dos sintomas, além da secreção que se acumula e obstrui as vias aéreas.

Na terceira idade, o cuidado é essencial, e não só para os idosos com pneumonia: o dia a dia é beneficiado com um cuidador. Ter alguém experiente por perto ajuda nas atividades cotidianas e na melhora da saúde, bem como no tratamento de doenças. Separamos um artigo sobre cuidadores de idosos para você que está em busca de oferecer o melhor para as pessoas que ama. Boa leitura!

Categorias
Cuidados com idosos

DPOC em idosos: entenda a importância do cuidador

A DPOC em idosos é uma doença perigosa e com números significativos de óbitos. Por isso, é preciso estar muito atento aos sintomas, que costumam se manifestar em pacientes com mais idade. Responsável por comprometer a função pulmonar e afetar a respiração, a doença merece atenção por conta de danos irreversíveis que podem acometer os pulmões.

Quando se fala na rotina do paciente portador da DPOC, a presença do cuidador de idosos é o alicerce mais indicado para lidar com as limitações cotidianas. Além dos sintomas e mudanças da doença em si, o inverno surge como um fator agravante. As temperaturas caem e, mais do que isso, o ar se torna seco e resseca as vias aéreas do paciente.

Vale lembrar que a DPOC é considerada uma patologia da velhice, já que a maioria dos casos acontece com idosos, mas pode acometer pessoas mais jovens. Confira no artigo que preparamos como a doença se manifesta e quais cuidados são necessários. Se você tem familiares na terceira idade com os sintomas, fique atento e saiba como ajudar: a DPOC em idosos precisa de acompanhamento. Boa leitura!

Conheça a DPOC

A DPOC, Doença Respiratória Obstrutiva Crônica, equivale a um espectro de doenças respiratórias que comprometem os alvéolos ou as vias respiratórias. A bronquite crônica e o enfisema pulmonar são exemplos, e o tabagismo é um dos grandes vilões da saúde dos pulmões. Apesar de diagnosticada acima dos 40 anos de idade, a DPOC em idosos é bastante perigosa.

Na prática, a DPOC pode ocasionar o estreitamento das passagens de ar, com a presença de muco em alguns casos. Assim, a respiração se torna difícil, e o paciente começa a apresentar sintomas como falta de ar e tosse, em razão da obstrução das vias aéreas. O que se vê, portanto, é um declínio da atividade respiratória do paciente, de forma irreversível.

No dia a dia, o impacto desses sintomas é grande. A dificuldade de respirar causa cansaço, fadiga e prejudica muitas das atividades rotineiras, em especial na terceira idade. A dependência de ajuda, em muitos casos, influencia a percepção da pessoa sobre si mesma, principalmente no caso dos idosos.

DPOC em idosos

A partir dos 60 anos, a DPOC representa uma das principais causas de óbito. A DPOC em idosos acarreta uma limitação nas atividades cotidianas e exercícios físicos, em virtude da tosse e do muco que dificultam a respiração. A doença não tem cura, mas o devido acompanhamento permite tratar a DPOC e minimizar os sintomas, trazendo mais bem-estar aos idosos.

Um dos grandes riscos da doença é o agravamento do quadro. A DPOC em idosos, em estágios avançados, compromete o fluxo respiratório mesmo com o paciente em repouso. Vale lembrar que cuidados diários, como parar de fumar e fazer o acompanhamento e seções de fisioterapia pulmonar,são essenciais. Logo, quando os primeiro sinais surgirem, é preciso procurar ajuda profissional.

A presença do cuidador de idosos garante especialização para todos os casos. A rotina é melhorada, a qualidade de vida sobe e a convivência com as limitações da DPOC em idosos passa a ser facilitada. Por isso, o investimento no suporte profissional é tão importante nessa fase da vida, ainda mais nos casos de doenças restritivas.

Cuidado na terceira idade

A DPOC é uma doença que se manifesta com o comprometimento dos pulmões do paciente, a partir de quadros de bronquite e enfisema, por exemplo. Tosse e falta de ar são os principais sintomas, e a dificuldade com as tarefas diárias traz limitações à rotina. A DPOC em idosos é grave e merece atenção para preservar o que for possível dos brônquios e alvéolos.

Por se tratar de uma doença que traz prejuízos mesmo no repouso, no caso de quadros avançados, é preciso estar sempre atento aos sintomas. O tabagismo é um dos responsáveis pelos danos aos pulmões, e cuidados no dia a dia podem trazer alívio a quem sofre com o quadro.

O cuidador traz a experiência necessária não só no cuidado de pessoas com doenças, tais como a DPOC em idosos, mas também no acompanhamento na rotina diária. Por que não dar esse passo para oferecer bem-estar aos seus entes queridos? Confira um artigo sobre cuidadores de idosos e saiba como essa escolha pode fazer toda a diferença para os seus familiares mais velhos.

Categorias
Cuidados com idosos

Tuberculose em idosos: sintomas e prevenção

Quando se pensa em tuberculose em idosos, o fator mais preocupante é, sem dúvida, a alta incidência de casos nessa faixa etária. Além disso, os sintomas mais discretos demandam atenção por parte dos familiares, médicos e cuidadores.

Com a população idosa crescendo em vários lugares do mundo, é importante entender o ciclo da doença e como ela se manifesta nesses pacientes. Por ser uma infecção bacteriana, o tratamento deve ser levado a sério durante o tempo determinado e, no caso de tuberculose em idosos, o acompanhamento profissional é indicado. 

Ao longo do artigo, você vai saber mais sobre a doença e entender como ela se apresenta nos idosos. Descubra como prevenir a tuberculose na terceira idade e como a presença de um cuidador pode ajudar. Afinal, a saúde é determinante para bons níveis de qualidade de vida. Boa leitura! 

Saiba mais sobre a doença

A tuberculose é uma infecção bacteriana causada pelo bacilo de Koch. Essa patologia costuma comprometer os pulmões do paciente infectado, mas pode, também, atingir outros órgãos, como os rins. A transmissão se dá por meio de gotículas de espirros ou tosse da pessoa contaminada.

Muitos pacientes não apresentam sintomas da doença, embora tenham o agente infeccioso no corpo. Quem tem sintomas costuma sentir cansaço, dor no peito, tosse persistente por mais de duas semanas e produção de catarro. Esses sinais podem surgir juntos ou isolados.

Com o avanço do quadro, a tuberculose destrói a estrutura dos alvéolos pulmonares, atingindo os vasos sanguíneos. Assim, o paciente começa a expelir sangue, um sintoma bem conhecido da doença. A tuberculose em idosos, como será visto a seguir, pode ter sintomas sutis e, muitas vezes, passa despercebida pelas pessoas de contato próximo.

A tuberculose em idosos

Na terceira idade, é natural a diminuição das defesas do organismo, o que torna o idoso mais suscetível a doenças respiratórias, por exemplo. Por isso, a contaminação é mais fácil, e os números de tuberculose em idosos são expressivos. Os casos pulmonares, por exemplo, correspondem a 83%.

Os sintomas podem ser confundidos com outros quadros de saúde. Febre baixa, cansaço, déficit cognitivo e de memória são alguns exemplos de sintomas que os idosos costumam apresentar. Diferentes dos sintomas tradicionais e com progresso lento, muitas vezes não são notados.

Uma forma simples de evitar o contágio é ficar o mínimo possível em locais cheios. Afinal, é nessas situações que o bacilo tende a se espalhar; assim, a tuberculose em idosos pode ser reduzida. Durante o inverno, esse cuidado deve ser redobrado por conta de aglomerações e ambientes fechados com pouca circulação de ar.

Vale lembrar que idosos portadores de outras doenças têm mais chances de desenvolver quadros de tuberculose, ou a sua reativação. Insuficiência renal, HIV, diabetes e desnutrição, por exemplo, elevam os riscos de tuberculose nessa etapa da vida.

Por todas essas razões, o acompanhamento médico regular é importante, assim como a presença de um cuidador de idosos. Contratar um profissional promove uma transformação na rotina do paciente, aprimorando aspectos físicos e mentais. Além disso, tratamentos de saúde são melhor conduzidos.

Cuidado integral na terceira idade

A tuberculose em idosos é uma doença de avanço lento com sintomas que, muitas vezes, não são notados pelas pessoas próximas. Tosse, produção de catarro, febre e dor no peito são alguns sintomas clássicos da patologia. Em idosos, no entanto, cansaço crônico, febre baixa e piora cognitiva e de memória podem ser indicadores da tuberculose.

Além da fragilidade maior dos pulmões nessa idade, que propicia mais facilidade de contrair agentes infecciosos, o inverno é um agravante. Locais fechados e cheios não são indicados para prevenir a tuberculose. O estado geral de saúde do paciente idoso é outro fator importante, já que portadores de problemas renais, hepáticos, diabetes e HIV, entre outros, têm mais risco.

Portanto, quem tem familiares da terceira idade deve se manter atento a qualquer sintoma da tuberculose em idosos. Mais do que isso, oferecer apoio profissional é a melhor forma de garantir mais qualidade de vida e bem-estar aos idosos. Continue conosco e confira por que contratar um cuidador é um gesto de amor e cuidado relacionado à rotina do idoso como um todo.

Categorias
Cuidados com idosos

Conheça as principais doenças respiratórias na terceira idade

As doenças respiratórias na terceira idade são um problema corriqueiro e, infelizmente, grave. A saúde, de modo geral, passa a demandar mais cuidados com o passar dos anos, e o funcionamento pulmonar não é diferente.

Com a chegada do inverno, as patologias respiratórias têm um aumento no número de casos, em todas as faixas etárias. Por isso, é fundamental estar atento às principais doenças respiratórias em idosos, para que sejam devidamente tratadas o quanto antes. Entre elas, pode-se citar a asma, bronquite e a DPOC, entre outras. O que todas elas têm em comum é o comprometimento da respiração e sintomas como tosse e falta de ar.

Se você tem familiares de mais idade, ou mesmo com a saúde mais frágil, confira ao longo do artigo as principais doenças respiratórias na terceira idade. A promoção da saúde é essencial em todas as etapas da vida e, para os idosos, ainda mais. Boa leitura!

As doenças respiratórias na terceira idade

Você sabe quais são as principais doenças respiratórias em idosos? Primeiramente, é preciso entender por que essas patologias são perigosas e o número de casos na terceira idade é tão alto. Essa é a razão pela qual qualquer sintoma deve ser verificado assim que for notado.

Os idosos, pelo passar do tempo, apresentam pulmões menos elásticos e menos capazes de filtrar os agentes causadores de doenças. Além disso, o corpo como um todo sofre desgaste com a idade, o que pode ser agravado pela condição climática.

Durante o inverno, as temperaturas caem e a umidade do ar também, criando um cenário propício para doenças respiratórias na terceira idade. As vias respiratórias tendem a ressecar, e os ambientes fechados proliferam agentes infecciosos com facilidade.

Entre as patologias mais comuns, estão as listadas a seguir.

Pneumonia

Infecção pulmonar caracterizada pela presença de muco, tosse e febre. A falta de ar é outro sintoma, uma vez que os pulmões são amplamente comprometidos pela doença. A pneumonia é mais perigosa para pacientes acima de 65 anos.

DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica se apresenta com as vias respiratórias obstruídas, o que dificulta e pode acabar por impedir a respiração. Causada por compostos nocivos, a DPOC causa danos irreversíveis e sintomas como tosse e falta de ar.

Bronquite crônica

A inflamação dos brônquios é uma das principais doenças respiratórias na terceira idade. Entre os sintomas, a dificuldade de respirar, com chiado no peito, tosse e falta de ar são os mais comuns. Alguns pacientes apresentam, ainda, dor no peito.

Enfisema

A doença tem causas variadas, entre elas, o tabagismo, poluição e histórico familiar. A degeneração da estrutura pulmonar é lenta e causa dificuldade no dia a dia, especialmente em estágio avançado. Os pulmões perdem eficiência e o quadro é irreversível.

Asma

Conhecida pela falta de ar que proporciona, a asma em idosos requer atenção. A patologia causa dificuldade na respiração, chiado e muita tosse, reduzindo a circulação de ar nos pulmões. Aspectos ambientais podem desencadear crises.

Prevenção e cuidado

Em meio às principais doenças respiratórias em idosos, alguns cuidados simples podem ser inseridos na rotina. Por serem patologias de transmissão variada, o ideal é aplicar todas essas dicas diariamente. Juntas, elas são a melhor forma de combater agentes infecciosos.

Higienizar bem as mãos constantemente é o primeiro cuidado, com benefícios abrangentes e, ainda, uma ação funcional contra a COVID-19. Não fumar e evitar aglomerações são outras medidas contra as doenças respiratórias na terceira idade, para interromper o ciclo de contágio. 

Por fim, a vacinação é uma ferramenta eficiente para os idosos. Com ela, é possível evitar doenças e o seu agravamento. Nessa idade, a piora dos quadros é ainda mais grave e, por isso, a vacinação contra gripe e pneumonia, por exemplo, é recomendada.

Bem-estar e saúde para o idoso

O inverno é a estação em que os casos de doenças respiratórias aumentam, principalmente para os idosos. As temperaturas baixas, aliadas à baixa umidade, somadas à fragilidade maior nos pulmões, são grandes responsáveis por isso. Entre as patologias, pode-se citar bronquite, pneumonia, asma e DPOC, que comprometem as vias aéreas e dificultam a respiração, além das atividades diárias.

A prevenção das doenças respiratórias na terceira idade demanda higiene, distanciamento de aglomerações e um estilo de vida saudável, bem como a vacinação. A rotina do idoso é a chave para garantir tranquilidade e bem-estar nessa etapa da vida. Portanto, o cuidador é o profissional capaz de aliar o desenvolvimento físico e mental na terceira idade, promovendo suporte e especialização.

Para saber mais sobre esse serviço, continue a visita em nosso blog e descubra a importância da companhia para idosos.