Categorias
Cuidados com idosos

Delirium x demência x delírio: aprenda a diferença e os sinais

Quem convive com uma pessoa que sofre da doença de Alzheimer sabe que existe a possibilidade de um ataque repentino. Como se o paciente, sem qualquer motivo aparente, se transformasse em outra pessoa ou começasse a reviver um episódio do passado. É aí que surge a dúvida:  Isso é um delírio, é um delirium ou é um sintoma normal da demência?

Neste artigo eu vou explicar o que são essas 3 questões e como elas se relacionam. Não apenas para pacientes com doença de Alzheimer, mas para todos os pacientes que sofrem de demências ou outros distúrbios neuronais.

Então, vem comigo.

Leia também: Dicas para afastar o risco de pneumonia em idosos

Delírio x Delirium: qual é a diferença entre os 2?

Bem, vamos começar derrubando a primeira confusão: o que é um delírio e o que é um Delirium?

Delírio

Bem, o delírio é caracterizado como uma perturbação mental que gera estímulos e/ou sensações na pessoa delirante. Pode ser causado por consumo de medicações, bebidas alcoólicas, entre outros.

Ele também pode ser causado por uma resposta do cérebro às variações do organismo. Por exemplo, ficar sem beber água por muito tempo, ou sem se alimentar, pode causar delírio em pessoas. Nem sempre o delírio está associado com alguma doença mental e seu tratamento é feito, via de regra, sem intervenção medicamentosa.

Não existe uma lista de sintomas comuns do delírio. Algumas pessoas deliram com sons, outras com imagens, outras ainda com sensações, como frio e calor, há delírios com odores, etc.

Delirium

Já o Delirium é uma perturbação súbita, flutuante (ou seja, de intensidade variável), que vem sem motivo aparente. O Delirium tem como principais sintomas: 

  • Diminuição da capacidade de prestar atenção;
  • Desorientação;
  • Incapacidade de conversar e se comunicar com clareza;
  • Flutuações da Consciência (podendo levar até à um desmaio)
  • Entre outros, que varia de pessoa para pessoa (como ataques psicóticos).

Também é importante: Obesidade após os 65 anos, malefícios e como evitar

Delírio e Delirium podem ser sintomas de uma Demência

Agora que já falei sobre a diferença entre os dois “ataques” gerados no cérebro. É preciso entender que nenhum deles está relacionado, diretamente, a um quadro de demência. Embora a demência seja responsável por causar delírios e delirium.

Ou seja, todo paciente que sofre de demência passará por episódios de delírio e de delirium, mas nem todo episódio deste dois problemas está associado, necessariamente, com uma demência.

Já que a demência é uma doença que afeta as células do cérebro. Normalmente, a demência afeta os neurotransmissores (como a dopamina), impactando a funcionalidade normal do órgão. 

O que fazer com um paciente que esteja sofrendo um ataque de Delírio?

Primeiro, é preciso isolar o paciente e garantir que ele esteja em um local de segurança, sem objetos cortantes por perto, ou meios de se machucar. Já que o delírio pode fazer com que a pessoa fique agitada.

Depois, convém mapear o que foi ingerido pelo paciente, ou quaisquer elementos de gatilho que possam ter causado o quadro (como uma música, a visita de uma pessoa, etc.)

Por fim, caso o delírio demore para passar, ou o paciente tome atitudes que coloquem a própria segurança em risco, procure ajuda médica.

Leia em seguida: Segredos para manter uma vida sexual ativa na terceira idade

O que fazer em caso de Delirium?

Já o quadro de Delirium, por ser muito mais específico e contar com sintomas que também são comuns em episódios de AVC, entre outros. É indicado que você peça socorro médico imediatamente.

Tenha uma pessoa treinada por perto para evitar problemas e amenizar os sintomas

Aqui na Senior Concierge o meu time de especialistas é treinado especialmente para aprender como lidar com quadros de delírio e delirium.

Clique aqui e conheça mais sobre os nossos serviços. Tenho certeza de que podemos ajudar a sua família.

Agradeço pela leitura e até a próxima! 

Categorias
Cuidados com idosos

Assistência Domiciliar: como manter a segurança dos idosos em casa

Bem, o processo de envelhecimento transforma o nosso corpo e a nossa mente, faz com que tenhamos que contar com facilitadores para que a nossa vida seja confortável, por isso o tema da assistência domiciliar.


Veja, amadurecer é um processo natural que traz desafios novos para a vida. E aí será preciso adaptar o lar (e até mesmo alguns hábitos) para garantir que a saúde e a segurança sejam preservadas.


Neste artigo eu vou explicar como são essas adaptações e quais as melhores alternativas para garantir assistência domiciliar aos idosos da sua família.

Leia também: Dicas para afastar o risco de pneumonia em idosos

Adapte a casa pensando em uma locomoção segura

A primeira coisa que você precisa pensar é na questão da circulação dos idosos pela casa. Nesse sentido, é necessário prestar atenção em diversos elementos, como:

  • Piso escorregadio
  • Corrimão para suporte e segurança
  • Fios e cabos que podem atrapalhar a locomoção
  • Móveis baixos, onde o idoso poderá tropeçar ou bater as pernas
  • Entre outros.

Por isso, o conceito de aging in place recomenda que adaptemos também a casa. 

Comportamento das pessoas que prestam assistência domiciliar

Estou usando a expressão assistência domiciliar, mas falo aqui dos cuidados prestados aos idosos, ou pacientes em casa. 

De todo modo, preciso trazer um ponto importante: a pessoa que prestará assistência domiciliar precisa tratar essa questão como algo totalmente natural. Por que é.

O que quero dizer é que se a família toda tratar a assistência domiciliar como algo estranho, ou incomum, o idoso também se sentirá assim sobre a ajuda. E então negará os cuidados. O que pode trazer repercussões negativas.


Já que a assistência está lá para melhorar a vida, não para ser um elemento de estresse.


E quanto ao pós operatório?

Muitos clientes também buscam assistência domiciliar em períodos pós operatório. Quando a saúde do idoso está frágil e precisa de uma atenção profissional.

Nestes cenários, é aconselhável que você pesquise bem o histórico da empresa antes de fechar negócio. Aqui na Senior Concierge nós estamos abertos para tirar todas as suas dúvidas e mostrar a qualidade dos nossos serviços de assistência domiciliar.

Leia em seguida: Segredos para manter uma vida sexual ativa na terceira idade

Estamos aqui para prestar suporte às pessoas que você ama 

Assistência domiciliar é um assunto complexo que precisa ser tratado por profissionais que têm experiência e embasamento no mercado.

Precisa de ajuda para proporcionar uma vida mais confortável às pessoas que você ama? Então, clique aqui e conheça mais sobre o nosso serviço de assistência domiciliar.


Temos certeza de que poderemos te ajudar.


Agradeço a leitura e até a próxima! 

Categorias
Cuidados com idosos Idosos Parkinson Senior Concierge

5 maneiras que a Senior pode ajudar o seu parente Parkinsoniano

Você ou algum familiar recebeu um diagnóstico da Doença de Parkinson, e agora? Bem, neste artigo eu vou te explicar 5 maneiras que a Senior Concierge pode ajudar o seu parente parkinsoniano.


Vamos começar.

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

O que é a Doença de Parkinson?

A Doença de Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, crônica e progressiva. É causada por uma diminuição intensa da produção de dopamina, que é um neurotransmissor (substância química que ajuda na transmissão de mensagens entre as células nervosas).

Além do tratamento médico e do uso de medicamentos, uma equipe multiprofissional pode ajudar a atenuar os sintomas e dar mais qualidade de vida e proporcionando uma vida com independência por muitos anos.

Por isso, a Senior Concierge possui profissionais dedicados que podem ajudar nesse processo.

Desenvolvemos alguns programas, que podem ser ajustados de acordo com a necessidade do assistido, que podem auxiliar na independência e bem-estar.

E os 5 benefícios que a Senior traz para a vida da família e do parkinsoniano, são:

  • Amenizar os sintomas
  • Aumentar o bem-estar
  • Garantir a tranquilidade da família
  • Organizar os horários e as medicações
  • Fazer um check up do lar, sugerindo modificações para que o assistido tenha mais autonomia e segurança

Vamos ver cada uma delas em detalhes.

Amenizar os sintomas

Mesmo que a doença de Parkinson não tenha cura, com o tratamento correto é possível amenizar os sintomas.

A Associação Brasileira de Neurologia afirma que, evitando-se o estresse, trazendo os estímulos corretos e garantindo os horários certos das medicações, a doença de Parkinson pode ter seus sintomas atenuados e a progressão da doença também é desacelerada, quando comparados com pacientes que não recebem um tratamento adequado. 

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Aumentar o bem-estar do parkinsoniano

E se falamos de atenuar os sintomas, então também estamos falando de aumentar o bem-estar do parkinsoniano.


Afinal de contas, a pessoa terá maior qualidade de vida, autonomia e poderá participar ativamente em diversas situações do dia a dia.

Garantir a tranquilidade de toda a família

As duas soluções anteriores trazem ainda outro benefício, a tranquilidade de toda a família.


Sei que cuidar de um parente parkinsoniano é desafiador, e algumas vezes até assustador.

Foi exatamente esse desafio que me fez fundar a Senior Concierge, para que eu possa trazer tranquilidade, tanto para as pessoas que sofrem da doença, quanto para seus familiares. 

Organizar os horários e as medicações

A correta manutenção das medicações e das atividades diárias é fundamental para desacelerar o processo degenerativo da doença. 


De modo que com uma ajuda profissional, você terá a certeza de que todas as medicações foram ministradas no momento certo, assim como todas as atividades executadas como foram orientadas pelos médicos responsáveis. 

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Fazer um check-list para adaptar a casa

Por fim, a segurança do parkinsoniano também passa pela adaptação do lar. Instalações de barras, mudanças de móveis, aplicações de pisos emborrachados, todas essas coisas são orientadas pela a nossa equipe.


Nós visitamos o lar do parkinsoniano e elaboramos um checklist completo com todos os itens que devem ser modificados e adaptados.


Assim, você terá em mãos um documento importante no momento de contratar a empresa responsável pelas adaptações. Ou, você poderá fazer as mudanças por conta própria.

Clique aqui e conheça todos os serviços da Senior Concierge para melhorar o dia a dia do parkinsoniano e de toda a família. Com a ajuda certa você verá que a vida ficará muito mais fácil.

Agradeço a leitura e até breve! 

Categorias
Cuidados com idosos Geração Sanduíche Parkinson Senior Concierge

Filhos de Parkinsonianos: este artigo é para vocês!

Ver um parente próximo receber o diagnóstico positivo para doença de Parkinson pode ser um pouco desafiador. Afinal de contas, quem está preparado para saber o que fazer em uma situação dessas?


Pois a resposta honesta é: ninguém. Ninguém está pronto para receber esse diagnóstico. 


Contudo, passado o susto, é hora de por a cabeça no lugar e garantir que a vida do parkinsoniano (e de toda a família) seja repleta de amor, autonomia e bem-estar.

Se você tem pai, mãe, avô ou avó que sofre da doença de Parkinson, este artigo com certeza vai te ajudar. Afinal, acredito que a informação é a nossa melhor aliada contra a ansiedade e o desespero de lidar com uma doença tão desafiadora.


Vamos começar. 

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

Quais são os cuidados básicos para parkinsonianos?

Antes de mais nada é preciso entender que a doença de Parkinson tem reflexos diretos nas capacidades motoras dos pacientes. Contudo, os desafios não ficam limitados somente a essas questões.


Com o passar do tempo, e o aumento das dificuldades, pacientes correm o risco de perder a autoestima, e podem até mesmo desenvolver problemas, como:

  • Depressão
  • Ideação do suícidio
  • Falta de motivação
  • Entre outros

Os cuidados básicos para evitar que estes e outros problemas ocorram, são:

  • Proteger a casa e adaptar ela para receber este paciente parkinsoniano (nós temos um artigo que trata deste assunto, clique aqui.
  • Garantir que o parkinsoniano tenha uma vida plena de atividades e estímulos positivos;
  • Garantir que o parkinsoniano tenha atividades domésticas, para que ele possa sentir que faz a diferença. 

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Como controlar o estresse do Parkinsoniano?

Segundo a Associação Brasileira de Neurologia (ABN), a doença de Parkinson ainda não tem uma causa definida. Embora alguns hábitos parecem aumentar os indícios do seu desenvolvimento, como: tabagismo, falta de estímulos, vícios diversos, falta de atividades sociais, alimentação inadequada, desnutrição, entre outros.

Contudo, o estresse aparece como um fator importante para a ABN. Inclusive, são os episódios de estresse que, normalmente, agravam os quadros de Parkinson e tornam a vida do parkinsoniano mais desagradável.

De modo que ter uma rotina para evitar o estresse é importantíssimo, quando falamos dos cuidados com o parkinsoniano.

Algumas atividades eficazes, são:

  • Caminhadas (mesmo que lentas)
  • Conversas
  • Atividades em grupo
  • Pintura
  • Música
  • Passeios 
  • Estímulos positivos, como carinhos, elogios
  • E paciência.

Aliás, a paciência é a sua melhor aliada para garantir que o parkinsoniano não tenha episódios de estresse. Outro ponto importante está em diminuir o número de estímulos ofensivos, como sons altos, barulhos, conversas por todos os lados, luzes piscando, entre outros. 

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Como garantir a autonomia do Parkinsoniano?

Primeiro de tudo, você precisará adaptar o seu lar, conforme explicamos nos itens acima. Isso faz com que a casa esteja preparada para ter esse morador que depende de condições especiais.


Segundo, convém observar se o parkinsoniano é capaz de fazer atividades sozinho. Nesse quesito, não existe uma regra pré-definida, mas quanto mais ele puder se sentir confortável e ativo, melhor.

Facas e utensílios de corte estão proibidos. Mas pode-se deixar que o parkinsoniano faça inúmeras atividades e seja capaz de ajudar de diversas maneiras. 

Entenda, o diagnóstico não é o fim da vida

É importante também trabalhar a questão psicológica de toda a família. Sobretudo as pessoas que convivem diretamente com o paciente parkinsoniano. 

Realmente, a doença de Parkinson ainda não tem uma cura, e embora os remédios e tratamentos prolonguem o tempo de vida e a qualidade dos anos restantes, ainda há poucas evoluções em relação à uma melhora do cérebro prejudicado.

A doença de Parkinson cria uma elevação lipídica que degenera as células do cérebro. E os remédios, até este momento, não são capazes de restaurar o que foi perdido.

Mas, como eu disse no início do artigo, o estresse gera um fator importante para a expansão deste mal estar. Em outras palavras, manter uma vida plena, ativa, saudável e longe do estresse, pode não regenerar a mente, mas fará com que os males tenham um impacto menor. 

A vida do Parkinsoniano pode ser plena e saudável

Pensando na comodidade do parkinsoniano e da sua família. Junto com a minha equipe de especialistas, eu desenvolvi o serviço perfeito para atender a esse público tão específico.


Conheça mais sobre o Parkinson Care, o serviço da Senior Concierge que vai devolver aos seus dias a tranquilidade, a segurança, o conforto, a organização e o bem-estar que a sua família merece. Clique aqui e saiba mais!

Agradeço a leitura e até a próxima.

Categorias
Alzheimer Cuidados com idosos envelhecimento saudável Idosos Senior Concierge

Alzheimer não é o fim da vida! Como manter a atitude positiva após o diagnóstico

O que fazer ao se deparar com um diagnóstico positivo de doença de Alzheimer? Normalmente, o nosso primeiro pensamento é acreditar que acabou a vida das pessoas que amamos. Ou se for um diagnóstico próprio, a nossa vida. Mas as coisas não são assim.

Hoje eu quero explicar para você que um diagnóstico positivo de Alzheimer pode ser encarado de maneiras propositivas. De modo a estender o tempo de qualidade de vida das pessoas acometidas pela doença.

Vamos conversar! 

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

Entendendo as fases do Alzheimer

Bem, de modo resumido, o Alzheimer é uma doença degenerativa das células cerebrais, portanto, é uma demência. A mais comum dos tipos de demências. Suas causas ainda são incertas e, até o momento, não há cura ou reversão das perdas celulares. Mas já existem bons remédios e tratamentos capazes de retardar o processo degenerativo. 

Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz) a doença se desenvolve em três fases:

  • Fase inicial: caracterizada pelo choque do diagnóstico e a compreensão da doença;
  • Fase moderada: quando o Alzheimer mostra seus sintomas mais característicos e é comum que o paciente precise de cuidados em tempo integral ou semi integral;
  • Fase avançada: quando o paciente precisa de cuidados em tempo integral. 

Há formas de tornar a vida do paciente melhor em cada uma dessas fases.Quero falar mais sobre elas.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Fase inicial: contar ou não contar?

Na fase inicial é comum que a pessoa acometida pela doença de Alzheimer apresente os sintomas de confusão e perda de memória. Por exemplo, pode ser que ela conte histórias de coisas que não aconteceram, ou pergunte sobre pessoas que já faleceram como se ainda estivessem vivas.

Segundo a Abraz, nessa fase, cabem aos parentes e aos profissionais qualificados escolherem se devem, ou não, corrigir a pessoa com doença de Alzheimer.


Isso irá depender de caso a caso, conforme a progressão da doença e as reações do paciente. Aconselha-se cautela. Principalmente ao falar de pessoas que já faleceram.

Uma resposta que tem mostrado bons resultados é fazer a pessoa se lembrar dos acontecimentos, com calma e sem exageros. Frases como “lembra, quando nós fomos nos despedir dela? Estava um dia assim…”

Já para as histórias criadas, inventadas, é aconselhável que sejam feitas correções pontuais, como “acho que isso não aconteceu bem assim, não concorda?”

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Fase moderada: segurança física e emocional

Na fase moderada os sintomas estão mais intensos e é comum que o paciente precise de cuidados em período integral ou semi-integral.

Os pilares dessa fase, são:

  • Garantir a segurança física
  • Reforçar a segurança emocional


Para segurança física, é o momento de adaptar a casa, fechar bem portas e portões para evitar que o paciente fuja, entre outros cuidados.

Já a segurança emocional é cuidada com conversas, carinho, estímulos e cuidados. Mesmo que as conversas sejam confusas e desconexas, a presença de uma pessoa querida garante que o paciente tenha momentos de prazer e alegria. 

Fase avançada: alternativas de comunicação e manifestação de afeto

Então o paciente chega na fase avançada. Neste momento, a família deverá entender o processo natural da vida e saber que tudo foi feito.


Não é uma fase simples e encarar a finitude certamente trará desafios para todos.


Entretanto, não se trata de um “enterro antecipado”. Na fase avançada são descobertas novas formas de se comunicar e de manifestar carinho. É comum que pacientes debilitados demonstrem carinho apenas apertando o dedo de uma pessoa querida.

O remédio para todas as fases: amor 

Pode parecer clichê dizer isso, mas a nossa vida só faz sentido quando pautada por amor. Então, independentemente da fase, as demonstrações de amor, carinho, afeto e bem-querer devem ser constantes.


Brinque, cante, dance, ria, jogue, dê passeios, curta a vida com a pessoa que sofre da doença de Alzheimer. E não tenha medo de pedir ajuda, caso a barra fique muito pesada para segurar.

Deixo aqui o convite para você conhecer a minha equipe especializada no cuidado às pessoas que sofrem da doença de Alzheimer. Clique neste link e veja como podemos tornar a vida da sua família mais leve, tranquila e acolhedora.

Agradeço a leitura e até a próxima!

Categorias
Alzheimer Check-up do Lar Senior Cuidados com idosos Senior Concierge

Doença de Alzheimer: lista de coisas para adaptar em casa

Pessoas que sofrem da doença de Alzheimer apresentam dificuldades motoras e de coordenação, além das características questões envolvendo a memória. Por isso, ter um lar bem equipado e iluminado é importante para garantir o prolongamento do bem-estar.

Nós já temos um artigo onde damos dicas de como preparar o lar para o parkinsoniano. E hoje trouxemos essa publicação com dicas similares (algumas idênticas) às maneiras de preparar o lar para o idoso que sofre da Doença de Alzheimer.

Veja como tornar a casa muito mais confortável, acolhedora e segura. Vamos lá! 

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

Adaptações banheiro e cozinha são os principais

Comece com os recursos de segurança mais importantes que você deve aplicar na casa, ainda mais já que são os ambientes onde acontecem acidentes com mais frequência. Estamos falando do banheiro e da  cozinha. 

Tome nota: normalmente as quedas ocorrem no banheiro, pois pacientes com Doença de Alzheimer têm dificuldades para entrar e sair da banheira, ou do chuveiro. Sobretudo durante estágios avançados da doença.

Instalando barras de apoio, firmemente ancoradas na parede ao lado do vaso sanitário e da banheira ou dentro do box, você ajuda a evitar acidentes.

Caso o idoso esteja em uma cadeira de rodas, considere instalar o chuveiro adequado. E também, mantenha o ambiente bem iluminado.

Já na cozinha, considere instalar maçanetas com alças ou alavancas, isso facilita o manejo na hora de abrir as portas.

Tenha balcões e áreas de preparação de alimentos rebaixados para torná-los facilmente acessíveis a alguém em cadeira de rodas.

Por fim, configure uma área de armazenamento para itens usados ​​com frequência, como colheres, copos, etc. para que possam ser acessados ​​com facilidade.

Lembrando também que a pessoa que sofre de doença de Alzheimer não deve manipular objetos cortantes, como facas e outros utensílios de cozinha.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Mudanças nas Escadas

A iluminação inadequada é a maior causadora de  quedas nas escadas, assim como a falta de suporte e/ou degraus escorregadios. Isso serve tanto para pessoas que sofrem da doença de Alzheimer, quanto para idosos saudáveis, que já apresentam dificuldade de visão característica da idade.

Portanto, deve haver um corrimão em pelo menos um lado da escada, estendendo-se para fora a cerca de cinco centímetros da parede. O chão precisa ser emborrachado ou conter algum elemento antiderrapante. E as luzes devem ser intensas o bastante para iluminar bem o ambiente.

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Para os Dormitórios

Instale barras de apoio para ajudar a subir e descer da cama sem acidentes e facilite o alcance de lâmpadas e interruptores de luz.

Tome nota: quanto menos a pessoa com doença de Alzheimer precisar se movimentar no escuro, menor a chance de um acidente.

Também não é aconselhado o uso de tapetes ou pequenos móveis que possam causar tropeços.

Por fim, o relógio, a lâmpada e o telefone devem ser colocados na mesa de cabeceira, com fácil acesso.

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Adaptações gerais na casa

Via de regra, coloque elementos antiderrapantes nos pisos lisos, também é aconselhável abrir mão dos móveis baixos (altura dos joelhos) que possam causar acidentes. Isso inclui pisos instáveis, como carpetes ou azulejos escorregadios, superfícies de madeira, entre outros.

Os móveis devem ser pesados, resistentes e repousar uniformemente no chão. Remova tudo o que estiver abaixo dos móveis e abra mão de qualquer móvel que tenha movimentos giratórios (como mesas de montar, racks que com peças móveis, etc).

Assegure-se de que todas as cadeiras tenham apoios de braços e que estão posicionadas de forma que facilite ao paciente com doença de Alzheimer para que possa se sentar ou se levantar tranquilamente.

E para finalizar, toda a casa deve ter uma iluminação potente, que evite sombras no chão e cantos escuros.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Como saber o que eu preciso mudar na minha casa?

Se você precisa de um auxílio personalizado para saber o que deve ser adaptado, nós podemos te ajudar. Temos uma equipe especializada em elaborar este check-up redirecionado para cada caso. Clique aqui e saiba mais! 

Categorias
Atividades físicas Cuidados com idosos envelhecimento saudável Senior Concierge Senior Interativo

Obesidade após os 65 anos, malefícios e como evitar

A obesidade aumenta os riscos de diabetes, trombose, infartos, AVCs e diversos outros problemas de saúde. Por isso, ela deve ser observada, ainda mais quando falamos de pessoas que já passaram dos 65 anos.


Veja, este não é um artigo que tem o intuito de diminuir e/ou acusar pessoas que se sentem bem quando estão acima do peso. Contudo, existe uma diferença entre o “gordo saudável” e a pessoa que sofre de obesidade.

Hoje eu quero apontar essa diferença e propor saídas para que você possa mudar de vida, ou incentivar as pessoas que você ama a mudarem a vida delas. 

Vamos começar!

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

O que é obesidade?

Definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como: “O acúmulo anormal ou excessivo de gordura no corpo.”

Os dados sobre a obesidade não são nada animadores:

  • 18,9% da população acima de 18 anos das capitais brasileiras sofrem de obesidade
  • Mais de 100 milhões de pessoas estão acima do peso
  • O percentual de pessoas com obesidade cresceu 60,2% no Brasil nos últimos 12 anos
  • 74% dos óbitos no Brasil acontecem por doenças associadas à obesidade

(informações do site: Saúde Não se Pesa)

Como a obesidade se desenvolve?

Segundo publicação do Hospital Albert Einstein, a principal causa de obesidade é a alimentação inadequada ou excessiva.

Para manter o peso ideal é preciso que haja um equilíbrio entre a quantidade de calorias 

ingeridas e a energia gasta ao longo do dia.

Quando há abundância de alimentos e baixa atividade energética, existe o acúmulo de gordura.

Ou seja, daí podemos concluir que os principais causadores, são:

  • Sedentarismo
  • Alimentação inadequada
  • Falta de motivação
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Falta de autoestima

O efeito bola de neve da obesidade

Sentimentos ruins, como falta de autoestima, geram comportamentos ansiosos, que normalmente estão conectados com alimentação de má qualidade. Isso faz com que o idoso perca a motivação para sair e se exercitar, aumentando o índice de gordura corporal, gerando mal-estar e ainda mais sentimentos ruins.


Um ciclo vicioso e nada positivo.

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

O que fazer para quebrar o ciclo da obesidade em idosos?

A solução é tão simples quanto poderia ser, mas infelizmente ela não é fácil de ser colocada em prática.


Com base em análises do comportamento das pessoas, é constatado que praticar exercícios e ter uma vida ativa é o melhor modo de quebrar o ciclo da obesidade.

Tem mais, não se deve esperar até que a vontade de ter uma vida ativa venha. Não espere que essa vontade surja

Estudos sobre a motivação publicados pela Harvard Business School mostram que iniciar uma atividade ativa os sistemas de recompensa do cérebro, que vão fazer com que a atividade fique mais prazerosa.


Ou seja, a sequência não é: ter vontade, fazer atividade, ficar feliz.

Mas sim: fazer a atividade mesmo sem estar com vontade e insistir até se sentir bem.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Leia mais sobre envelhecimento ativo

Se você quer mais dicas de como incentivar os seus pais e avós para que eles tenham uma vida mais saudável e se livrem da obesidade, continue acompanhando o nosso Blog.

Somos especialistas em envelhecimento ativo, onde propomos inúmeras atividades que acabam com o sedentarismo e proporcionam uma vida saudável. 

Agradecemos a leitura e até a próxima! 

Categorias
Cuidadores de Idosos Cuidados com idosos Senior Concierge

Como é ser cuidado pela Senior Concierge?

Você ainda tem dúvidas se precisa, ou não, de um cuidador de idosos e quer saber como é ter a sua família atendida pela Senior Concierge? Então, preparei este artigo especialmente para você. 

Aqui vou apresentar as nossas principais soluções, assim você verá como elas fazem a diferença no dia a dia dos idosos e de suas famílias.

Então, vamos lá. Saiba mais sobre a Senior Concierge e como nós podemos te ajudar.


Fique confortável e aproveite a leitura!

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

Quem somos nós?

Somos uma empresa com um novo jeito de dar suporte aos 60+: praticamos um modelo de atenção integrada e centrada nas reais necessidades dos idosos. 

Nossos serviços possuem um propósito.

São uma resposta dos novos tempos para um modelo de cuidados ultrapassado, que é o modelo curativo baseado nas doenças, praticado por outras empresas de home care.

Aqui nós não focamos nas doenças, mas sim em como garantir que a vida seja mais alegre, plena e ativa.

Nosso Propósito

Garantir um envelhecimento prazeroso, proporcionando qualidade de vida e bem-estar aos familiares.

Nossos Valores

  • Autonomia: prezamos pela autonomia de nossos clientes, mas também de nossos colaboradores, para que possam tomar decisões com responsabilidade e equilíbrio.
  • Colaboração: Somos abertos, estimulamos que colaboradores expressem suas opiniões e ideias, pois gostamos da troca e do diálogo aberto. Mas pautamos as interações em dados, gerando contribuições embasadas. Interagimos com gentileza e positividade.
  • Compaixão: ouvimos e sentimos, nos colocamos no lugar do outro, mas sem perder o olhar profissional.
  • Excelência: Buscamos a excelência em tudo o que fazemos e colaboramos, seja em grupo ou individualmente, para atingir a melhor performance possível.


Quais são os nossos serviços?

Visando atender às famílias e aos idosos em diferentes estágios ou situações de suas vidas. Contamos com soluções que englobam praticamente todos os âmbitos de atendimento.

São eles:

  • Senior Interativo – com Senior Interativo em si,  Ginástica Booster 60+, Leva e Traz Senior Concierge e o Check-Up Lar Senior Concierge;
  • Personal Care – com Cuidados/Enfermagem, Pós-operatório com Welcome Home, Acompanhantes para Internação Hospitalar;
  • Alzheimer Care;
  • Parkinson Care.


Saiba mais sobre algumas soluções em detalhes.

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Senior Interativo

Quem convive com um familiar idoso provavelmente notou como é fácil para que ele fique isolado socialmente e com uma vida sedentária. Duas questões que resultam em efeitos negativos na vida dos idosos. 

Para resolver, desenvolvemos uma solução cujo objetivo é permitir que o idoso viva da melhor maneira possível, respeitando seus próprios limites.

No Senior Interativo, nós enviamos um profissional especializado, a partir de 1 vez por semana, por 4 horas, com o objetivo de realizar as atividades de estímulo cognitivo, social e físico.

Isso pode incluir: caminhadas, alongamentos, exposições, teatro, cinema ou mesmo ir ao mercado, ir à feira, agendar e acompanhar consultas, exames e muito mais!

Benefícios do Senior Interativo

Esse suporte tem se mostrado ideal para os idosos que apresentam resistência a um cuidador constante, porém já precisam de um apoio inicial e/ou assistência no seu dia a dia, assim como idosos que começam a se isolar por ter receio de sair de casa e cair na rua ou por sentir medo da violência urbana, até mesmo aqueles que precisam de uma companhia para se alimentar melhor.

O processo é muito simples.

Nós elaboramos uma agenda em conjunto com a família e o idoso, abrangendo os compromissos regulares que a pessoa idosa já tem – médicos, fisioterapia, hidroginástica, acupuntura e outros –, então, adicionamos atividades lúdicas leves, como caminhadas, passeios, jogos de tabuleiro, cartas, e demais atividades que estimulem a memória e a agilidade mental, podem ser até mesmo reuniões com amigos/parentes com os quais não conseguiam mais se encontrar, dentre outros estímulos.

Tem mais.

Tudo isso pode ser acompanhado no plano de atividades, em aplicativo exclusivo da Senior Concierge.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Ginástica Booster 60+

Na Ginástica Boosster 60+ nós elaboramos um modelo de atividades físicas especificamente voltadas para os idosos de modo a proporcionarmos um envelhecimento ativo.

Benefícios da Ginástica Booster 60+

Com esse rol de exercícios dirigidos, observamos uma melhoria do bem-estar geral, da condição da saúde física e, mais importante, a preservação da independência e autonomia nas atividades do cotidiano.

É uma das intervenções mais eficientes para a melhora da qualidade de vida dos idosos, pois auxilia no controle das mudanças que ocorrem durante o processo de envelhecimento.

Estamos disponíveis para atender às suas necessidades

Quer saber mais detalhes sobre todos os serviços da Senior Concierge? Entre em contato conosco agora mesmo.


Nosso time de especialistas em aging in place está disponível para entender as suas necessidades e propor as soluções adequadas. 


Clique aqui e envie a sua mensagem.


Agradeço a leitura e até a próxima! 

Categorias
Cuidadores de Idosos Cuidados com idosos envelhecimento saudável Memória

5 atividades para estimular a memória em idosos

Estimular a memória é importante para todos, mas principalmente para os idosos, pois é um ponto de partida essencial para evitar as principais demências ocasionadas pela idade, para diminuir o estresse e, claro, melhorar a memória.

Hoje nós vamos mostrar 5 jogos que são excelentes para estimular a memória e também passaremos informações importantes sobre exercícios cognitivos.

Veja. 

Leia em seguida: Os segredos da longevidade que ninguém te conta

Jogos da Memória

Os jogos de memória têm uma dinâmica simples: diversas cartas ou cartões são embaralhados e dispostos de cabeça para baixo em uma superfície, sendo que o objetivo é formar pares com aqueles iguais.

A cada vez que as cartas são viradas na tentativa de formar um par, a memória vai gerando um mapa mental, então fica mais fácil vencer o jogo.

O exercício da memória de curto prazo é uma das maiores vantagens do jogo e também a dificuldade mais frequente para os idosos.

Isso porque é muito comum que as pessoas da terceira idade se lembram de fatos que ocorreram há mais de 20 anos, mas se esqueçam de acontecimentos recentes.

O jogo da memória também exercita aspectos como:

  • associação;
  • atenção visual;
  • percepção;
  • criatividade;
  • memória biográfica.

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Palavras cruzadas

Outro jogo que pode ajudar o maduro a exercitar o cérebro e também se divertir, é o jogo de palavras cruzadas. Ao precisar associar as letras com a formação das palavras, durante a brincadeira, o idoso estimula:

  • raciocínio lógico;
  • memória;
  • a capacidade de associação entre conhecimentos;
  • leitura.

Inclusive, a leitura também é uma ótima forma de estimular a memória. Quando o maduro lê, ele precisa relacionar aquilo que já foi lido com o que está lendo no momento. Assim, o cérebro precisa lembrar do que foi visto páginas atrás ou apenas alguns parágrafos antes, para que a leitura faça sentido. 

O hábito de ler auxilia no exercício da memória e pode, aos poucos, melhorar a capacidade de recordar do idoso. Agora, caso o maduro esteja com perda de memória, confusão mental e desorientação espacial, é preciso avaliar, pois estes podem ser alguns sintomas do Alzheimer. 

Inclusive, ter alguém que amamos com essa doença pode ser algo desafiador. Mas, com um programa e tratamento multidisciplinar, é possível ver melhorias significativas nos sintomas comportamentais e psicológicos.

Quebra-cabeças

A dica é: progressivamente, vá aumentando o número de peças. Ele exercita o cérebro dos idosos tal qual pessoas fazem ginástica para aumentar e enrijecer os músculos.

Um bom quebra-cabeças traz todos os benefícios dos jogos citados anteriormente.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Fazer uma lista de compras de cabeça

Há duas maneiras de usar essa dica: a primeira é realmente fazer uma lista de compras de cabeça, sem abrir os armários ou a geladeira.

A segunda é fazer a lista de compras e, quando chegar no mercado, tentar encontrar os produtos sem recorrer à lista. Ou seja, guarde-a no bolso e force o seu cérebro a lembrar o que é necessário comprar. Apenas recorra à lista quando já estiver pronto para ir ao caixa e verificar quantos pontos você fez!

Leitura

Não se trata de um jogo, mas sim de uma prática.

Ler é um hábito muitas vezes deixado de lado, mas a leitura pode exercer papel fundamental no estímulo da memória em idosos.

Essa atividade vai demandar o foco total do idoso, que vai precisar processar todas as informações para compreender o contexto. Isso ajuda a trabalhar a memória de curto e de longo prazo, além de estimular a retenção de novos dados.

Outro ponto positivo é que a leitura pode se tornar um passatempo e ainda trazer novos aprendizados, enriquecendo a cultura e o vocabulário.

Uma boa dica é sempre perguntar ao idoso sobre o que ele leu e a sua opinião sobre o assunto, assim você estimula ainda mais o cérebro, além das relações sociais. 

Uma vida ativa mantém a memória sempre afiada

Ter uma vida ativa garante uma memória sempre em dia. Clique aqui e conheça o Senior Interativo, o serviço da Senior Concierge que traz o envelhecimento ativo para dentro de casa, melhorando a memória e afastando a ociosidade.

Categorias
Cuidadores de Idosos Cuidados com idosos Senior Concierge

O que dizem os clientes da Senior Concierge: Feedbacks que nos motivam

Quero confessar uma coisa, nestes muitos anos à frente da Senior Concierge, sempre tive uma certeza na mente: nenhum trabalho faria sentido, nenhum resultado seria positivo e nenhuma conquista seria maior do que saber que fiz a diferença na vida das pessoas.

E foi essa certeza, que me guiou durante os meses mais prósperos e também durante os meses mais difíceis.


Por isso, hoje trago aqui alguns feedbacks que recebemos dos nossos clientes na nossa página do Google. Eles estão bem aqui, onde você poderá vê-los por conta própria.


E por qual razão trago estes feedbacks? Para mostrar que uma vida melhor é possível.

Para mostrar ao meu time como nosso trabalho tem impactos positivos e para mostrar para você que, com a ajuda certa, a vida dos idosos da sua família (ou a sua vida), também pode ser muito melhor.


Cada uma dessas histórias é a prova de que uma vida melhor é possível.

Também pode te interessar: O que é Disfagia e como evitar que ela ocorra?

Internação em uma situação de emergência em um domingo

Minha experiência com a prestação da Senior Concierge foi excelente. Entrei em contato num feriado prolongado pois meu sogro foi internado numa situação de emergência e eu precisava de suporte para que ele tivesse supervisão 24 horas. Enviaram uma profissional em menos de duas horas (em pleno domingo), chegou pontualmente, já no próprio Pronto-Socorro. Prestativos, proativos, cuidadosos com todos os detalhes do caso e segurança do paciente . A equipe da Senior acompanhou desde o pronto-socorro, enquanto aguardava transferência, até a internação hospitalar. Extremamente educados, só tenho elogios. Obrigada. – Thais .

Bem estar e satisfação do assistido

Excelência  no pronto atendimento, educação e simpatia, preocupação com o bem-estar e satisfação do assistido; são apenas alguns atributos dos profissionais que me atenderam. Precisei de um primeiro atendimento emergencial e não mediram esforços para resolver. Fechei um primeiro pacote, com valor muito acessível, e os profissionais da assistência são de um nível elevadíssimo. É uma empresa muito séria, competente. Recomendo. Eu e minha mãe estamos muito felizes e satisfeitos. Muito obrigado por tudo – Victor.

Agradeço aos cuidados com a minha mãe

Agradeço a Senior Concierge pelos cuidados com minha mãe. Foi muito importante o profissionalismo, o suporte técnico das supervisoras, o carinho da cuidadora nos momentos mais difíceis onde minha mãe sentia dor e ficava nervosa. Tenho certeza que o sucesso da recuperação da cirurgia foi em parte pelo trabalho de vocês. Obrigado pelo apoio e parabéns pelo lindo trabalho. – Marco.

Tratamento exclusivo

Excelente tratamento! Empresa diferenciada, com tratamento exclusivo, adaptável e tudo que se prometeu foi cumprido de forma integral. Muito obrigado! 

Agradeço ao cuidado prestado ao meu avô

Quero agradecer por todo cuidado prestado ao meu avô pela Senior Concierge.

Desde o começo fomos bem atendidos, sanando nossas dúvidas e passando segurança. O carinho das cuidadoras também tem nos ajudado muito, recomendo. – Pedro.

Leia também: Depressão x Ansiedade: como identificar em idosos?

Mudamos a vida dessas pessoas e sei que podemos mudar a sua também

Se você precisa de ajuda para pós-operatório, acompanhante para internação, check-up para deixar o lar mais seguro, suporte para idosos com doença de Parkinson ou doença de Alzheimer, ou então proporcionar uma vida mais ativa e saudável aos idosos da sua família, deixo o convite para que você entre em contato conosco.. Clique aqui e me conte um pouco mais sobre a suas necessidades. Nosso time de especialistas em Aging in Place entrará em contato e vai propor uma solução customizada para o seu caso.

Agradeço a leitura e até a próxima.