Categorias
Cuidados com idosos depressão em idosos Senior Interativo

Janeiro Branco: qual a importância da saúde mental dos idosos?

Você já ouviu falar sobre o Janeiro Branco? A campanha, marcada por ações que visam a prevenção e os cuidados com a saúde mental e emocional da população, abordam questões muito importantes para garantir o bem-estar de nossos pais e avós nessa fase de mudanças.

Discutir sobre o tema se mostra cada vez mais necessário, o mês serve como um alerta para mostrar como os transtornos mentais podem afetar a população, inclusive os idosos. Por isso, é preciso entender o conceito que envolve o termo saúde mental e saber quais sinais devemos nos atentar.

Quer saber mais sobre a campanha Janeiro Branco e a importância da saúde mental dos idosos? Acompanhe o material completo que preparamos sobre o assunto! 

Qual o objetivo do Janeiro Branco?

O  Janeiro Branco tem como objetivo envolver a população e fomentar o debate sobre o tema da saúde mental. Com isso, as ações buscam divulgar informações sobre o adoecimento emocional e levar conhecimento sobre esse problema clínico para mais pessoas. 

Criada em 2014 por um grupo de psicólogos mineiros, a campanha é um convite para que o nosso olhar se direcione para as emoções e a saúde mental sem preconceito. Dessa forma, é possível entender quais os cuidados devemos ter com a saúde e alcançar um equilíbrio mental. 

A campanha acontece em janeiro justamente por ser um mês em que as pessoas têm a prática de realizar novos planos e novos começos. Aproveitando esse clima de novo ciclo, por que não pensar em começar a cuidar da saúde mental?

Com o lema: “Quem cuida da mente, cuida da vida”, o Janeiro Branco quer barrar preconceitos acerca da saúde mental e mostrar que todos precisam de ajuda para atravessar determinadas situações. 

Os idosos sofrem mais com o abalo da saúde mental?

Com o decorrer dos anos, o cérebro sofre a perda de neurônios e de algumas conexões. Essa ação pode impactar na função cerebral e, por isso, alguns idosos já não conseguem mais desempenhar algumas atividades feitas com facilidade há uns anos. 

A falta de autonomia, a diminuição da interação social e a mudança da função social junto às alterações fisiológicas acabam colocando os maduros em um grupo de risco para desenvolverem transtornos mentais.  

Estudos de base populacional relataram que, com o aumento da idade, ocorre uma maior prevalência do transtorno mental comum, por exemplo. 

Janeiro Branco: quais são os transtornos mentais comuns em idosos?

Os transtornos mentais mais comuns em idosos são os quadros ligados à depressão, ansiedade e transtornos psicóticos, sendo a depressão considerada a causa mais frequente de sofrimento emocional na fase madura da vida. 

Quais os sinais de transtornos mentais em idosos?

No caso da depressão, os sintomas podem ser confundidos com sinais de outros problemas clínicos, uma vez que as queixas englobam dores no corpo, alterações de apetite e perda ou ganho de peso. Mas além desses sintomas, é possível perceber sinais de irritabilidade, ansiedade, insônia,esquecimento e dificuldade de concentração.  

A ansiedade pode causar preocupação constante ou nervosismo, tensão muscular ou fadiga, irritabilidade ou dificuldade de concentração. Já os quadros psicóticos podem ser sinalizados como delírios e alucinações. 

Mas, afinal, qual a importância da saúde mental dos idosos?

A chegada da fase madura traz diversas mudanças para os nossos pais e avós, a rotina era de trabalho, convivência com amigos e total autonomia. Algumas dificuldades aparecem, e assimilar a nova fase não é nada fácil. 

Por isso, a chegada da fase madura deve ser marcada pelo cuidado da mente e do emocional, afinal, não fomos preparados para lidar com algumas mudanças ao longo da caminhada. 

Uma saúde mental equilibrada resulta em uma melhora da qualidade de vida e do bem-estar, fatores fundamentais para alcançar a longevidade feliz. 

Janeiro Branco: como promover a saúde mental?

Estar presente na vida do idoso dando suporte e carinho é muito importante para saúde mental dos seus pais e avós. 

Auxiliá-los a manter uma vida ativa em que possam desenvolver estímulos cognitivo, social e físico pode ajudar a reduzir os sintomas moderados de ansiedade e depressão em idosos. 

Levar conhecimento sobre a fase madura para os pais e avós ao longo da caminhada e empoderá-los como sujeitos úteis na sociedade também faz toda a diferença para o grupo entender melhor essa fase da vida. 

E é claro, se você perceber algum dos sintomas de transtornos mentais em algum ente querido, não deixe de levá-lo ao médico para realizar o diagnóstico e tratamento.

Prevenção de transtornos mentais na prática

Pensando em promover qualidade de vida e bem-estar aos idosos, a Senior Concierge desenvolveu o Senior Interativo. Com o serviço, seus familiares idosos conseguem manter uma vida ativa e mais sociável. Assim, eles podem viver melhor, respeitando os próprios limites. 

A partir de uma vez por semana, por um período de 4 horas, um profissional especializado vai até a sua casa para realizar junto ao idoso atividades de estímulo cognitivo, social e físico. 

Isso pode incluir caminhadas, alongamentos, exposições, ir ao mercado, à feira, a consultas e exames e ao cinema com toda segurança e cuidado que eles merecem!

Precisando de suporte para auxiliar seus pais e avós? Conte com a Senior Concierge, segurança e cuidado para quem você ama! 

Categorias
Cuidados com idosos

Cuidados com idosos em casa: confira dicas que podem te ajudar

Muitas vezes, a rotina dos idosos exige cuidados adicionais, seja na atenção extra ao preparar uma alimentação ou na cautela ao passear em ruas com buracos e degraus, que podem trazer riscos de queda, com o seus pais ou avós. E quando as mudanças causadas pela chegada da terceira idade transformam o corpo, é preciso adaptar o ambiente e os hábitos da família. 

Mas uma coisa é certa: os cuidados com idosos são muito importantes para proporcionar bem-estar e qualidade de vida a quem sempre cuidou da gente

Colaborar com a saúde física e mental de seu ente querido é possível, mas para isso, é importante ter conhecimento acerca das necessidades que ele precisa. Pensando nisso, a Senior Concierge preparou um texto com dicas que podem te ajudar! Confira a seguir.

Cuidados com alimentação 

Manter uma alimentação saudável é importante em qualquer fase da vida. Todavia, quando estamos mais maduros, manter a hidratação e uma alimentação rica em nutrientes são aliados ainda mais importantantes para uma longevidade ativa. 

Por isso, ingerir alimentos naturais, ricos em fibras e nutrientes ajudam a prevenir doenças que são acentuados nessa fase, como diabetes, hipertensão e osteoporose. 

Alguns problemas ligados à dentição podem impedir que os idosos consigam manter uma dieta rica e saudável. Além disso, as mudanças no organismo, como a redução do olfato e do paladar podem contribuir com a falta de apetite que a população mais madura costuma sentir. 

Desta forma, ingerir alimentos com alto valor nutricional e, dependendo da limitação, de fácil deglutição, são importantes para manter uma vida saudável. 

Veja algumas dicas:

  • Reduzir sais e açúcares da dieta é uma recomendação para todas as idades, mas cuidados como este devem ser reforçados na terceira idade!
  • Já na lista de alimentos que não podem faltar na mesa dos maduros  estão os leites e derivados. Segundo especialistas, essas comidas são as principais fontes de cálcio.
  • Frutas, verduras e legumes são alimentos ricos em fibras, vitaminas e sais minerais, elementos que ajudam no bom funcionamento do trato intestinal e aumentam a imunidade.

A Senior Concierge possui uma equipe especializada para oferecer todo o suporte que você e sua família precisam. Entre em contato com a gente para saber mais! 

Cuidados com a hidratação 

Você já bebeu água hoje? A hidratação é um assunto que nem sempre prestamos a devida atenção, mas é extremamente necessário! E esse cuidado deve ser reforçado na terceira idade, pois manter o corpo hidratado é essencial para o bom funcionamento do organismo dos idosos. 

A desidratação em pessoas da terceira idade é algo comum. A condição pode estar relacionada ao uso de medicamentos que induz o paciente a urinar mais vezes e também a diminuição da porcentagem de água no nosso corpo com o avanço da idade. 

Segundo especialistas, nessa fase da vida, o consumo adequado de líquidos pode evitar confusão mental, problemas de constipação e queda de pressão arterial. 

Acompanhe algumas dicas que podem ajudar seus pais ou avós a ficarem mais hidratados:

  • Incentive a ingestão de água. Uma boa forma de fazer isso é oferecer copos pequenos e com pouca quantidade de líquido várias vezes ao dia. 
  • Vale também preparar sucos de frutas cítricas ou águas saborizadas com fatias de frutas.
  • Acrescente alimentos ricos em líquidos, como melancia, laranja e morango na dieta. Essas frutas podem estar mais presente no preparo de sucos e água saborizadas. A água de coco é uma opção para repor os sais minerais de uma forma natural. 

Cuidados com idosos em casa

Infelizmente, muitas famílias já passaram por acidentes domésticos com seus familiares. Com as mudanças fisiológicas que acompanham a idade, desequilíbrios podem ser frequentes, tendo como consequência as quedas. 

Para reduzir a possibilidade de nossos pais ou avós sofrerem um acidente, devemos adaptar a  casa. Um ambiente confortável e seguro é essencial para trazer bem-estar e cuidado aos nossos pais e avós

Pensando em uma solução eficaz, a Senior Concierge construiu o Check-Up do Lar Senior, um serviço que presta consultoria, orientação e reforma para adequar a residência a fim de deixar o lar mais seguro e adequado. Deseja saber mais sobre? Clique aqui!

Além disso, separamos dicas do Guia viver mais e melhor elaborado pelo Ministério da saúde:

  • Evite colocar tapetes em casa ou fixe-os bem para que não tenha risco de escorregões. 
  • Coloque tapetes de borracha no banheiro, no chuveiro, em frente a pia da cozinha e em outras áreas da circulação. 
  • Procure deixar os cômodos bem iluminados, principalmente nos quartos e banheiros. Deixar a luz acesa durante à noite nos corredores também pode ajudar. 
  • É indicado retirar o excesso de móveis na casa e deixar o ambiente mais arejado.
  • As cadeiras e as poltronas devem ter apoio de braços, de costas e de assentos firmes.  A altura recomendada em relação ao chão é de 45 centímetros.

Estímulos cognitivos e uma vida ativa

Os estímulos cognitivos são caracterizados pela forma que cada ser humano tem de pensar, agir, memorizar e aprender. Entre os fatores que determinam as nossas características cognitivas estão o ambiente e a interação com ele, a linguagem e os sons.  

Os estímulos cognitivos podem ser grandes aliados para proporcionar um dia a dia ativo e feliz para a terceira idade. Isso porque eles influenciam no humor e no modo como processamos as informações. As práticas vão de caminhadas, conversas, alongamentos, a atividades lúdicas, oficinas, entre outras. 

Cada pessoa precisa de determinados estímulos. Um familiar, por exemplo, pode se sentir mais incentivado e feliz se passar um tempo por dia com uma companhia conversando. Há situações também em que eles tenham mais ânimo , caso deem uma caminhada pela manhã regularmente. 

Nosso programa Senior interativo buscar desenvolver as capacidades cognitiva da população mais madura. Nossos acompanhantes realizam junto ao idoso atividades de estímulo cognitivo, social e físico. Saiba mais aqui!

Quais cuidados tomar com idosos ao incentivar os estímulos cognitivos? 

Caminhadas e exercícios em casa

Cada estímulo cognitivo requer cuidados específicos. Ao sair para caminhar, por exemplo, evite ir em horários em que o sol está muito forte. Devemos ainda nos atentar a distância e ao local da prática. Escolha calçadas regulares que não sejam muito íngremes

É importante também sair com roupas e calçados leves e confortáveis. Para isso, pergunte ao seu familiar se o tênis está confortável e se ele se sente bem. Durante a caminhada, vale prestar atenção ao caminho e seguir o ritmo do idoso. Não esqueça de levar bebidas para ambos se hidratarem.

Há também a possibilidade de se movimentar dentro de casa a partir de exercícios e alongamentos dirigidos com a ajuda de um profissional que elabore um plano de atividades ideal de acordo com as limitações físicas de cada pessoa. 

Pequenas mudanças e cuidados no dia a dia podem fazer a diferença nessa fase da vida do seus pais e avós. E, por isso, o carinho e a atenção com nossos entes queridos são peças chave para alcançar uma terceira idade ativa e saudável.

Categorias
Cuidados com idosos Sem categoria

Saúde mental na terceira idade: sinais e cuidados!

A preocupação com a saúde mental na terceira idade dos nossos pais, mães ou avós vai muito além do físico. Às vezes a falta de um sorriso, um rosto triste ou um silêncio atípico nos tiram a noite, não é mesmo? E temos motivos: queremos a felicidade para quem nos criou com tanto amor. 

Mas o que esses comportamentos atípicos podem significar? Devo me preocupar? A saúde mental dos idosos é um ponto fundamental para que nossos pais e avós atinjam a longevidade com equilíbrio e bem-estar.

Por isso, separamos um material completo com informações que podem ajudar seu ente querido a lidar de melhor forma com possíveis obstáculos e, assim, desfrutar da longevidade de forma feliz e saudável

Saúde mental nos idosos: quando é um sinal de alerta?

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), cerca de 29,7% dos idosos são atingidos com transtornos mentais. Os sintomas das doenças psicológicas podem se camuflar na rotina e, por vezes, acabamos não dando atenção necessária aos indícios

Por isso, listamos as principais doenças e seus sintomas para que você possa aplicar e desenvolver medidas de prevenção para frear o crescimento dessas doenças e cuidar da saúde mental na terceira idade dos seus pais e avós.

Depressão em idosos

A solidão é um cenário triste e comum na terceira idade. Com familiares e amigos afastados, crises depressivas podem fazer parte do dia a dia nesta etapa da vida.

Outro fator de risco é que na terceira idade características da personalidade se intensificam, sabemos que alguns ficam mais gentis e outros mais mal-humorados. E isso é um sinal de alerta: pessoas mais pessimistas e com baixa autoestima podem ser mais propensas à depressão.

Por isso, atente-se aos sinais: indisposição, afastamento social e tristeza recorrente devem ser observados. Todo cuidado é pouco, pois a depressão pode acarretar ou mesmo agravar doenças crônicas já existentes

O tratamento para depressão pode ser feito com medicações, terapias e estímulos. Mas, o apoio da família e de amigos é fundamental para o tratamento

A contratação de home care pode ser uma solução para companhia e cuidado para seus pais ou avós. Saiba como a Senior Concierge pode te ajudar!

Demência 

Começa com um nome que deu branco, um documento que não levou para o médico de rotina, deixar os alimentos estragarem na geladeira ou o esquecimento de um endereço. A demência é uma das doenças mais comuns entre os idosos e pode ser identificada com a recorrência desses sintomas.

Gradualmente, a degeneração dos neurônios causadas pela velhice enfraquece a memória, gerando perdas de autonomia e dependência de cuidadores.

Alzheimer 

Alzheimer também é uma doença neurodegenerativa, causando a perda da memória de curto prazo e alterações comportamentais.

É uma das doenças mais comuns quando se fala de saúde mental na terceira idade, atingindo mais de 2 milhões de pessoas ao ano no Brasil e não existe cura. Apesar disso, medicamentos, estímulos cognitivos e cuidados são de extrema importância para o idoso ter uma melhora na qualidade de vida.

No início pode ser apenas o esquecimento de ter almoçado, mas que com o tempo pode afetar a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem. Nesse momento, a dependência se torna forte, a companhia para realizar procedimentos básicos de higiene e até mesmo para se alimentar se mostram necessários

Os cuidadores da Senior Concierge são preparados para cuidar com muito amor e preparos necessários dos nossos pais e avós, conheça mais sobre nós!

3 cuidados com a saúde mental na terceira idade que não podem ser esquecidos

É muito importante que, com o mesmo cuidado que nossos pais nos ajudam quando nós precisamos, nós os tratemos agora. Contudo, a vida, trabalho e rotina nem sempre permitem isso, por isso encontrar um cuidador que esteja preparado e possa acompanhar seu pai ou sua mãe durante todo o dia, seja em sua casa ou na deles, é essencial! 

Separamos mais algumas dicas para você se atentar:

1 – Desânimo 

Seu pai nunca negava uma partida de dominó de domingo e agora prefere ficar no quarto? Isso pode ser um sinal preocupante! Sintomas de humor depressivo devem ser olhados com atenção, os seus motivos e como podemos tornar mais fácil o caminho da terceira idade.

2 – Perda de memória

Qual avô que nunca trocou o nome dos seus netos? Pode parecer comum, mas se recorrente, deve ser observado. Principalmente se começar a influenciar diretamente na sua rotina, como o esquecimento de onde mora. A perda recorrente de memória pode ser um sinal para levar seus pais ao geriatra.

3 – Confusão mental

Falta de concentração, irritabilidade, agressividade são alguns dos possíveis sintomas de confusão mental no idoso. Então, se você observa com frequência a falta de atenção em uma conversa ou reações anormais, procure repassar essas situações para o médico.

Carinho é sempre o melhor cuidado

Grande parte das doenças podem ser agravadas com a solidão, um diagnóstico tardio ou a recepção negativa da família. Por isso, o melhor cuidado é sempre o carinho e a presença na vida do idoso.

Fique atento, a saúde mental deve ser cuidada com a mesma atenção dada às doenças físicas. Conte sempre com a Senior Concierge para ter esse acompanhamento de perto pelos nossos cuidadores, clique aqui e conheça mais sobre nós!

Categorias
Cuidados com idosos

DPOC em idosos: entenda a importância do cuidador

A DPOC em idosos é uma doença perigosa e com números significativos de óbitos. Por isso, é preciso estar muito atento aos sintomas, que costumam se manifestar em pacientes com mais idade. Responsável por comprometer a função pulmonar e afetar a respiração, a doença merece atenção por conta de danos irreversíveis que podem acometer os pulmões.

Quando se fala na rotina do paciente portador da DPOC, a presença do cuidador de idosos é o alicerce mais indicado para lidar com as limitações cotidianas. Além dos sintomas e mudanças da doença em si, o inverno surge como um fator agravante. As temperaturas caem e, mais do que isso, o ar se torna seco e resseca as vias aéreas do paciente.

Vale lembrar que a DPOC é considerada uma patologia da velhice, já que a maioria dos casos acontece com idosos, mas pode acometer pessoas mais jovens. Confira no artigo que preparamos como a doença se manifesta e quais cuidados são necessários. Se você tem familiares na terceira idade com os sintomas, fique atento e saiba como ajudar: a DPOC em idosos precisa de acompanhamento. Boa leitura!

Conheça a DPOC

A DPOC, Doença Respiratória Obstrutiva Crônica, equivale a um espectro de doenças respiratórias que comprometem os alvéolos ou as vias respiratórias. A bronquite crônica e o enfisema pulmonar são exemplos, e o tabagismo é um dos grandes vilões da saúde dos pulmões. Apesar de diagnosticada acima dos 40 anos de idade, a DPOC em idosos é bastante perigosa.

Na prática, a DPOC pode ocasionar o estreitamento das passagens de ar, com a presença de muco em alguns casos. Assim, a respiração se torna difícil, e o paciente começa a apresentar sintomas como falta de ar e tosse, em razão da obstrução das vias aéreas. O que se vê, portanto, é um declínio da atividade respiratória do paciente, de forma irreversível.

No dia a dia, o impacto desses sintomas é grande. A dificuldade de respirar causa cansaço, fadiga e prejudica muitas das atividades rotineiras, em especial na terceira idade. A dependência de ajuda, em muitos casos, influencia a percepção da pessoa sobre si mesma, principalmente no caso dos idosos.

DPOC em idosos

A partir dos 60 anos, a DPOC representa uma das principais causas de óbito. A DPOC em idosos acarreta uma limitação nas atividades cotidianas e exercícios físicos, em virtude da tosse e do muco que dificultam a respiração. A doença não tem cura, mas o devido acompanhamento permite tratar a DPOC e minimizar os sintomas, trazendo mais bem-estar aos idosos.

Um dos grandes riscos da doença é o agravamento do quadro. A DPOC em idosos, em estágios avançados, compromete o fluxo respiratório mesmo com o paciente em repouso. Vale lembrar que cuidados diários, como parar de fumar e fazer o acompanhamento e seções de fisioterapia pulmonar,são essenciais. Logo, quando os primeiro sinais surgirem, é preciso procurar ajuda profissional.

A presença do cuidador de idosos garante especialização para todos os casos. A rotina é melhorada, a qualidade de vida sobe e a convivência com as limitações da DPOC em idosos passa a ser facilitada. Por isso, o investimento no suporte profissional é tão importante nessa fase da vida, ainda mais nos casos de doenças restritivas.

Cuidado na terceira idade

A DPOC é uma doença que se manifesta com o comprometimento dos pulmões do paciente, a partir de quadros de bronquite e enfisema, por exemplo. Tosse e falta de ar são os principais sintomas, e a dificuldade com as tarefas diárias traz limitações à rotina. A DPOC em idosos é grave e merece atenção para preservar o que for possível dos brônquios e alvéolos.

Por se tratar de uma doença que traz prejuízos mesmo no repouso, no caso de quadros avançados, é preciso estar sempre atento aos sintomas. O tabagismo é um dos responsáveis pelos danos aos pulmões, e cuidados no dia a dia podem trazer alívio a quem sofre com o quadro.

O cuidador traz a experiência necessária não só no cuidado de pessoas com doenças, tais como a DPOC em idosos, mas também no acompanhamento na rotina diária. Por que não dar esse passo para oferecer bem-estar aos seus entes queridos? Confira um artigo sobre cuidadores de idosos e saiba como essa escolha pode fazer toda a diferença para os seus familiares mais velhos.

Categorias
Cuidados com idosos

Tuberculose em idosos: sintomas e prevenção

Quando se pensa em tuberculose em idosos, o fator mais preocupante é, sem dúvida, a alta incidência de casos nessa faixa etária. Além disso, os sintomas mais discretos demandam atenção por parte dos familiares, médicos e cuidadores.

Com a população idosa crescendo em vários lugares do mundo, é importante entender o ciclo da doença e como ela se manifesta nesses pacientes. Por ser uma infecção bacteriana, o tratamento deve ser levado a sério durante o tempo determinado e, no caso de tuberculose em idosos, o acompanhamento profissional é indicado. 

Ao longo do artigo, você vai saber mais sobre a doença e entender como ela se apresenta nos idosos. Descubra como prevenir a tuberculose na terceira idade e como a presença de um cuidador pode ajudar. Afinal, a saúde é determinante para bons níveis de qualidade de vida. Boa leitura! 

Saiba mais sobre a doença

A tuberculose é uma infecção bacteriana causada pelo bacilo de Koch. Essa patologia costuma comprometer os pulmões do paciente infectado, mas pode, também, atingir outros órgãos, como os rins. A transmissão se dá por meio de gotículas de espirros ou tosse da pessoa contaminada.

Muitos pacientes não apresentam sintomas da doença, embora tenham o agente infeccioso no corpo. Quem tem sintomas costuma sentir cansaço, dor no peito, tosse persistente por mais de duas semanas e produção de catarro. Esses sinais podem surgir juntos ou isolados.

Com o avanço do quadro, a tuberculose destrói a estrutura dos alvéolos pulmonares, atingindo os vasos sanguíneos. Assim, o paciente começa a expelir sangue, um sintoma bem conhecido da doença. A tuberculose em idosos, como será visto a seguir, pode ter sintomas sutis e, muitas vezes, passa despercebida pelas pessoas de contato próximo.

A tuberculose em idosos

Na terceira idade, é natural a diminuição das defesas do organismo, o que torna o idoso mais suscetível a doenças respiratórias, por exemplo. Por isso, a contaminação é mais fácil, e os números de tuberculose em idosos são expressivos. Os casos pulmonares, por exemplo, correspondem a 83%.

Os sintomas podem ser confundidos com outros quadros de saúde. Febre baixa, cansaço, déficit cognitivo e de memória são alguns exemplos de sintomas que os idosos costumam apresentar. Diferentes dos sintomas tradicionais e com progresso lento, muitas vezes não são notados.

Uma forma simples de evitar o contágio é ficar o mínimo possível em locais cheios. Afinal, é nessas situações que o bacilo tende a se espalhar; assim, a tuberculose em idosos pode ser reduzida. Durante o inverno, esse cuidado deve ser redobrado por conta de aglomerações e ambientes fechados com pouca circulação de ar.

Vale lembrar que idosos portadores de outras doenças têm mais chances de desenvolver quadros de tuberculose, ou a sua reativação. Insuficiência renal, HIV, diabetes e desnutrição, por exemplo, elevam os riscos de tuberculose nessa etapa da vida.

Por todas essas razões, o acompanhamento médico regular é importante, assim como a presença de um cuidador de idosos. Contratar um profissional promove uma transformação na rotina do paciente, aprimorando aspectos físicos e mentais. Além disso, tratamentos de saúde são melhor conduzidos.

Cuidado integral na terceira idade

A tuberculose em idosos é uma doença de avanço lento com sintomas que, muitas vezes, não são notados pelas pessoas próximas. Tosse, produção de catarro, febre e dor no peito são alguns sintomas clássicos da patologia. Em idosos, no entanto, cansaço crônico, febre baixa e piora cognitiva e de memória podem ser indicadores da tuberculose.

Além da fragilidade maior dos pulmões nessa idade, que propicia mais facilidade de contrair agentes infecciosos, o inverno é um agravante. Locais fechados e cheios não são indicados para prevenir a tuberculose. O estado geral de saúde do paciente idoso é outro fator importante, já que portadores de problemas renais, hepáticos, diabetes e HIV, entre outros, têm mais risco.

Portanto, quem tem familiares da terceira idade deve se manter atento a qualquer sintoma da tuberculose em idosos. Mais do que isso, oferecer apoio profissional é a melhor forma de garantir mais qualidade de vida e bem-estar aos idosos. Continue conosco e confira por que contratar um cuidador é um gesto de amor e cuidado relacionado à rotina do idoso como um todo.

Categorias
Cuidadores de Idosos Cuidados com idosos Parkinson

A importância do cuidador de idosos para pessoas com Doença de Parkinson

Quem tem familiares da terceira idade sabe o quanto é importante garantir o bem-estar do ente querido, e o cuidador de idosos pode ser parte desse processo. São inúmeras as dificuldades encontradas nos últimos anos da vida e, por isso, a ajuda especializada é tão bem-vinda.

No caso de idosos com restrições maiores, portadores de Doença de Alzheimer ou Parkinson, por exemplo, essa decisão se torna ainda mais fundamental. Isso porque a pessoa idosa que apresenta dificuldades precisa de cuidados especiais. Assim, consegue viver melhor e com mais conforto.

Por se tratar de um assunto importante, preparamos este artigo para explicar como o cuidador de idosos pode auxiliar seu familiar com Doença de Parkinson a ter mais autonomia no dia a dia. Saiba como a presença de um profissional pode melhorar a qualidade de vida do idoso em vários aspectos. Afinal, mudanças simples na rotina, somadas ao acompanhamento médico, têm ótimos resultados para amenizar os sintomas da doença. Boa leitura!

Entenda a Doença de Parkinson

Muitas pessoas acham que a doença de Parkinson tem como sintoma apenas o tremor das mãos. Apesar desse quadro ser amplamente conhecido e real, a doença se manifesta por meio de outros sintomas também. Trata-se de uma condição de saúde crônica e progressiva.

Ocorre a morte de células cerebrais na parte do órgão que produz a dopamina, substância que controla os movimentos do corpo. O resultado é uma sintomatologia que inclui movimentos lentos e sem precisão, rigidez dos membros, dificuldade de movimentação, entre outros.

Os familiares também podem notar problemas na fala, na memória, espasmos e falta de equilíbrio. Os sintomas são individuais, e a progressão da Doença de Parkinson também, embora ela seja mais comum em pessoas de mais idade, a partir dos 65 anos. Nesses casos, é importante que a família esteja atenta a qualquer mudança para fornecer o suporte necessário, como a presença de um cuidador de idosos.

Os tratamentos atuais são voltados para a promoção do bem-estar da pessoa idosa, uma vez que a cura da doença ainda não é conhecida. O objetivo é amenizar os sintomas que comprometem a rotina e aumentar a quantidade de dopamina no cérebro, melhorando a qualidade dos movimentos.

Como o cuidador de idosos pode ajudar?

No caso de pacientes portadores da doença de Parkinson, o cuidador de idosos traz experiência e conforto para a rotina, com atuação cuidadosamente pensada para atender às necessidades do idoso. Uma equipe multidisciplinar pode oferecer um tratamento especializado, ideal para cada caso, capaz de suprir as carências relacionadas a cada sintoma.

Uma alimentação adequada, exercícios físicos e acompanhamento de profissionais de áreas como Fonoaudiologia são exemplos de mudanças propostas pelo cuidador. Com essa nova rotina, o idoso se sente mais confortável e passa a ter mais qualidade de vida. A palavra-chave aqui é autonomia, mantida em nível máximo com a companhia constante do cuidador.

Adaptações no ambiente de casa também são oportunas, uma vez que esse acompanhamento ajuda muito o paciente com Parkinson. Cômodos com estruturas firmes e seguras, além de itens que facilitem as atividades, são bons exemplos. O mais importante na presença do cuidador é a confiança, já que as tarefas demandam paciência, cuidado e tolerância.

Saiba mais sobre o cuidado na terceira idade

O cuidador de idosos é um profissional treinado para apoiar a pessoa na terceira idade. Quando o indivíduo apresenta quadro de Parkinson, contratar um cuidador é a melhor forma de garantir a manutenção da autonomia e do bem-estar. Por se tratar de uma doença neurológica, merece atenção total.

Os sintomas incluem limitação de movimentos e de fala, problemas de memória, equilíbrio e rigidez dos membros. Outros aspectos podem se manifestar, pois a doença evolui de formas diferentes e sua sintomatologia é individual, podendo ser ampla, ou mesmo reduzida. Adaptações na rotina e na casa, incluindo exercícios, alimentação e um ambiente seguro tornam o cotidiano mais agradável.

Assim, ocupação do cuidador de idosos é, reconhecidamente, a de um suporte à pessoa idosa. Independentemente do estágio do envelhecimento e das particularidades de cada indivíduo, o profissional está sempre pronto para auxiliar. Para saber mais sobre o assunto, confira nosso artigo sobre a especialização da equipe de cuidadores de idosos da Senior Concierge.

Categorias
acompanhamento hospitalar

Internação hospitalar: quais os cuidados necessários para acompanhar um idoso?

Mais frequente na vida dos idosos devido a emergências ou tratamentos, a internação hospitalar é um evento estressante para qualquer pessoa. Afinal, quem está no hospital sente-se inseguro e fragilizado, especialmente em razão ao ambiente diferente do que está acostumado.

Para garantir que um idoso tenha o suporte necessário nesse momento difícil e não se sinta abandonado, a companhia é fundamental. Mas, afinal, quais cuidados são necessários para promover a tranquilidade nesse processo?

Se você quer descobrir, está no lugar certo! Continue a leitura e saiba mais sobre a internação hospitalar de idosos.

A necessidade de internação

Antes de tudo, é importante ressaltar que, se houver possibilidade, o ambiente hospitalar deve ser evitado — principalmente neste momento de pandemia de COVID-19. Isso porque, dentro do hospital, há riscos de contaminação por diferentes agentes infecciosos, o que pode levar ao surgimento de outras doenças e ao desenvolvimento de infecção hospitalar.

Além disso, é comum que idosos internados sofram quadros de confusão mental, gerando preocupação na família. Por isso, quando for possível, deve-se garantir que o paciente receba assistência em sua própria residência. Assim, o processo se torna mais seguro e tranquilo para todos.

A importância da companhia para idosos internados

Se você já esteve internado sabe que, durante esse processo, é comum passarmos por aplicação de medicações, avaliação de sinais vitais e uma série de outras atividades que podem causar estresse e preocupação. Tudo isso fragiliza o estado emocional do idoso, fator capaz de impactar sua recuperação.

Estudo mostram que, quando há um acompanhante, os idosos se sentem mais tranquilos e a resposta clínica é mais satisfatória. Isso porque a companhia faz com que tenham alguém para conversar, dividindo medos ou compartilhando possíveis queixas. Ela ainda acalma, melhora a autoconfiança e minimiza os riscos de que o idoso se sinta sozinho ou abandonado.

Cuidados necessários com o idoso internado

Agora que você já conhece o papel fundamental do acompanhante no período de estadia no hospital, chegou o momento de conhecer alguns cuidados que devem ser tomados.

Primeiramente, é importante evitar levar para ambiente hospitalar qualquer item desnecessário, como acessórios e bijuterias. Deve-se lembrar apenas dos objetos essenciais, como roupas confortáveis, produtos de higiene pessoal e sapatos. Além disso, a carteirinha do convênio e os documentos pessoais não podem ser esquecidos.

Antes de iniciar a internação, obtenha o máximo de informações da equipe de profissionais da saúde, entendendo o diagnóstico e motivo da hospitalização. Além disso, possíveis intolerâncias, alergias e problemas preexistentes devem ser informados aos médicos.

Durante a internação, é importante também verificar o conforto do paciente – isso pode incluir a necessidade de trocas de posições na cama ou até mesmo uma massagem de conforto, se autorizado pelo médico.

Por fim, é fundamental que haja um acompanhamento do quadro, e que sejam solicitadas previsões de alta. Afinal, o idoso deve permanecer apenas o tempo necessário no hospital, considerando-se os riscos já mencionados.

Após a internação

Se você vai acompanhar um familiar idoso durante sua internação, deve se atentar aos cuidados necessários para a recuperação em casa. Antes da alta, esclareça possíveis dúvidas e obtenha orientações da equipe médica, de modo a evitar retornos.

Na residência do idoso, a atenção deve ser redobrada, uma vez que pode haver a necessidade de usar medicamentos, além de possíveis riscos de acidente. Por isso, é importante que haja auxílio integral ao idoso, evitando imprevistos que podem levar a uma piora no quadro de saúde.

Conte com auxílio especializado

Sabemos que os filhos e familiares sempre querem ficar com seus pais, tios ou avós no hospital durante o tempo todo da internação. No entanto, vemos que, principalmente em internações longas, a rotina de vida da família começa a ficar muito complicada.

Sabendo disso, a Senior Concierge conta com profissionais especializados e de confiança para substituir pessoas que, por algum motivo, não podem oferecer companhia para idosos internados. Com uma equipe de cuidadores e enfermeiros, proporcionamos o melhor suporte no hospital.

Também temos a solução de cuidados pós-operatórios, que iniciam-se no ambiente hospitalar e se estendem ao conforto do domicílio. Em nosso serviço de Welcome Home, oferecemos todo o auxílio indispensável para o restabelecimento da rotina e recuperação da saúde. Podemos comprar medicamentos, curativos, alimentos,  muletas e outros itens, garantindo um ambiente acolhedor para o retorno do idoso.

A internação hospitalar é um momento difícil para qualquer pessoa. Para os idosos, a situação pode ser ainda mais estressante. Por isso, a presença de um acompanhante é necessária e parte importante do tratamento. Com ela, o paciente se sente mais seguro e autoconfiante para enfrentar o período de hospitalização.

Agora que você já conhece os cuidados necessários nesse processo e a importância da companhia para idosos, o que acha de falar conosco e saber mais sobre nossas soluções que garantem mais tranquilidade à família e ao paciente ao longo da internação? Vamos conversar!


Categorias
Cuidadores de Idosos Cuidados com idosos

Cuidadores de idosos em SP: conheça a Senior Concierge

Quando somos crianças, nossos pais ou avós não medem esforços para cuidar de nós. Mas, com o passar dos anos, a situação muda. O envelhecimento traz algumas limitações e faz com que eles passem a necessitar de nosso cuidado e atenção. No entanto, oferecer esse apoio não é uma tarefa simples, o que faz a procura por cuidadores de idosos em SP aumentar a cada dia.

Além da atenção voltada exclusivamente para as necessidades do idoso, a contratação de um profissional para atuar na sua própria residência traz uma série de vantagens. Entre elas, o bem-estar do indivíduo, que pode continuar no conforto do lar e em contato com as pessoas com quem já convive.

Pensando em mostrar as vantagens de contratar um cuidador de idosos, preparamos este artigo. Continue a leitura para saber mais sobre esse serviço e descubra como a Senior Concierge pode ajudar.

As vantagens de contratar cuidadores de idosos

Além de toda a comodidade proporcionada pelo cuidado na própria residência do idoso, a opção por contar com um cuidador oferece uma série de vantagens que se estendem à família. Afinal, com o familiar mais seguro em seu dia a dia, os filhos e netos podem ter a tranquilidade de saber que ele está sendo bem cuidado.

Confira outras vantagens desse serviço e descubra se essa é a opção ideal para o seu familiar:

  • Auxílio na realização de tarefas do dia-a-dia;
  • Melhora na autonomia e independência do idoso;
  • Prevenção de acidentes e quedas no lar;
  • Suporte especializado em situações de emergência;
  • Promoção da adoção de hábitos saudáveis;
  • Melhora na autoestima do idoso, minimizando o risco de depressão.

É importante ressaltar que, ao contratar essa solução, deve-se escolher a empresa de forma criteriosa. Afinal, a terceira idade é uma fase da vida muito delicada, que requer atenção e cuidados especiais. Se você está em busca de profissionais especializados, treinados e selecionados de forma criteriosa, continue a leitura e conheça a Senior Concierge.

Saiba mais sobre a Senior Concierge

A Senior Concierge nasceu em 2015, na cidade de São Paulo. Foi idealizada a partir da experiência pessoal de sua fundadora, Marcia Sena, que teve como inspiração suas próprias dificuldades para conciliar a carreira executiva, a preocupação com os filhos e os cuidados com os pais envelhecendo.

Somos uma prestadora de cuidados para pessoas com 60+ que precisam de suporte para manter a qualidade de vida e a organização da rotina. Atuamos com um conceito inovador, o Aging in Place, que tem como foco garantir o conforto e a independência das pessoas da terceira idade oferecendo serviços que permitam-nos viver no local que eles escolham, geralmente suas próprias casas.

Nosso modelo é baseado nas recomendações das principais sociedades médicas do mundo (como a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, ASG – American Society of Geriatrics, a SJGG – Sociedade Japonesa de Geriatria e Gerontologia) e da OMS (Organização Mundial da Saúde), que preconizam o estímulo de três áreas (física, cognitiva e social) para se alcançar o envelhecimento ativo e saudável.

Conheça nossos diferenciais a seguir e saiba por que a Senior Concierge é a melhor opção para quem busca por cuidadores de idosos em SP.

Experiência

Temos grande expertise em envelhecimento ativo, oferecendo a melhor qualidade possível e no local de sua preferência, seja sua casa ou dos familiares. Reunimos a experiência de nossa fundadora no cuidado de seus próprios pais e da equipe, que conta com mais de 30 anos de atuação na área da saúde e longevidade.

Confiança

Desenvolvemos uma gestão transparente e atenciosa, feita por pessoas e para pessoas, com o objetivo de oferecer um suporte confiável e descomplicado à terceira idade. Com a Senior Concierge, você tem a certeza de que os cuidados de seu familiar idoso estão em boas mãos.

Capacitação

Trabalhamos de forma extremamente rigorosa e criteriosa no recrutamento, seleção, contratação e treinamento de profissionais para nossa equipe, checando referências, experiência prévia, formação e postura, a fim de que o cuidado ao idoso resulte em tranquilidade para a família.

Disponibilidade

Oferecemos um atendimento rápido, flexível e com plantão 24 horas, a fim de suprir todas as necessidades da rotina do idoso e assegurar sua independência. Atendemos toda a cidade de São Paulo, além de municípios vizinhos.

Flexibilidade

Oferecemos soluções totalmente personalizadas de acordo as necessidades da família e do idoso. Com horários flexíveis e uma equipe sempre disponível, prestamos suporte em casa ou em hospitais.

Eficiência

Temos profissionais qualificados para realizar a supervisão diária, gestão e controle dos cuidadores já contratados por você. Com isso, conseguimos evitar faltas, realizar o controle de férias e proporcionar tranquilidade para os familiares do idoso.

Oferecer companhia e apoio aos idosos é fundamental para a manutenção de sua autonomia e qualidade de vida. Pensando nisso, a Senior Concierge desenvolveu seu serviço de cuidados pessoais com o intuito de ser um braço de suporte para os familiares que desejam garantir o bem-estar de seus pais ou avós. Então, se você está em busca de cuidadores de idosos em SP, não deixe de nos contatar!

Fale conosco e descubra como atuamos para oferecer um suporte descomplicado à terceira idade.

Categorias
Alzheimer Cuidados com idosos Idosos

Alzheimer em idosos: conheça os sintomas e cuidados necessários

Embora possa ocorrer de forma precoce, a doença de Alzheimer é mais comum em idosos com mais de 65 anos de idade. Trata-se de um tipo de demência que provoca progressiva perda de células neurais, com a deterioração de funções cerebrais, como a capacidade de se cuidar e a linguagem. Estima-se que ela afete cerca de 35,6 milhões de pessoas no mundo.

Seus prejuízos estendem-se à memória, ao pensamento e ao comportamento, tornando necessária uma companhia para idosos com essa condição. Afinal, mesmo as tarefas mais básicas, como se alimentar e tomar banho, podem se tornar um verdadeiro desafio em estágios mais avançados.

Se você quer entender os sintomas do Alzheimer em idosos e conhecer alguns dos cuidados necessários para a manutenção de sua qualidade de vida, está no lugar certo! Continue a leitura e saiba mais sobre essa doença.

Quais os sintomas do Alzheimer em idosos?

O Alzheimer em idosos apresenta uma série de sintomas. No início da doença, o mais comum é a perda de memória, principalmente da memória ligada a fatos recentes e até então, bastante conhecidos do idoso. Além disso, pode-se notar uma diminuição da capacidade de pensar de maneira abstrata e utilizar o bom senso, além de mudanças sutis nos padrões de fala. 

Com o avanço da doença, vão surgindo sintomas mais graves, como a irritabilidade e a perda da memória relativa aos acontecimentos antigos.

Confira outros sinais característicos do Alzheimer:

  • Prejuízo na capacidade de orientação no tempo e espaço;
  • Dificuldade para acompanhar diálogos complexos;
  • Perda de capacidade motora;
  • Problemas no uso de linguagem;
  • Dificuldade para dirigir e localizar caminhos já conhecidos;
  • Comportamentos inapropriados;
  • Insônia e agitação;
  • Repetição de questionamentos.

No estágio mais avançado  da doença, além de prejuízo gravíssimo à memória, há dificuldade de deglutir, falar e andar, além de infecções intercorrentes.

Como prevenir o Alzheimer?

Não se pode afirmar com certeza qual o meio mais eficaz de evitar o Alzheimer em idosos. Afinal, ainda não se conhecem suas causas específicas, embora estudos apontem uma predisposição genética para o seu desenvolvimento. Contudo, algumas pesquisas mostram que pequenas mudanças na rotina podem ser capazes de reduzir os riscos.

Confira algumas atitudes que auxiliam na prevenção:

  • Manter a mente em funcionamento por meio de atividades como leitura, estudos e jogos de memória;
  • Adotar uma alimentação equilibrada, com opções naturais e ricas em ômega-3.
  • Praticar atividades físicas regularmente;
  • Ter boas noites de sono;
  • Não fumar.

Quais cuidados podem auxiliar o idoso com Alzheimer?

Até o momento, o Alzheimer permanece sem cura. Mas alguns cuidados podem ajudar os idosos que sofrem com a doença a terem mais qualidade de vida e conforto no dia a dia. Confira algumas atitudes que podem facilitar a vida e a convivência de um indivíduo com esse quadro:

  • Estabeleça uma rotina com dias e horários bem definidos, ajudando o idoso a cumpri-la por meio de lembretes.
  • Estimule o convívio do idoso com familiares e amigos, mesmo que de maneira virtual, com o auxílio da tecnologia.
  • Limite as opções de escolha ao oferecer algo. Por exemplo, mostre apenas duas opções de roupa em vez de cinco. Isso evita possível irritação ou confusão mental.
  • Elimine possíveis distrações e ajude o idoso a manter o foco em uma tarefa por vez.
  • Providencie suporte profissional quando se tornar difícil oferecer ao idoso todo o auxílio necessário em sua rotina.

Qual a importância da companhia para idosos com Alzheimer?

A perda de funções cerebrais ocasionada pela doença tem como resultado um comprometimento da independência do paciente, impossibilitando que ele continue vivendo sozinho e sem auxílio. Com o passar do tempo, ele pode precisar de ajuda para comer, se vestir e ir ao banheiro.

O agravamento dos sintomas tende inclusive a aumentar o risco de quedas dentro de casa ou a possibilidade de que o idoso venha a se perder. Por essa razão, a companhia para idosos com Alzheimer é fundamental para a manutenção de uma rotina saudável e segura.

Embora muitas pessoas optem por oferecer suporte a seus familiares idosos, os compromissos do dia a dia podem tornar essa opção inviável. Diante dessa situação, a solução ideal é a contratação de um cuidador, profissional que, com paciência e dedicação, atua para garantir ou manter a qualidade de vida de idosos com Alzheimer.

O serviço de cuidados pessoais na própria residência do indivíduo garante, ainda, tranquilidade para a família, que muitas vezes não conta com os conhecimentos necessários para lidar corretamente com o idoso que sofre de Alzheimer.

O Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro que prejudica várias funções, como a memória, a linguagem e a coordenação. Comportamentos são comprometidos, dificultando a rotina de quem convive com essa condição. Por essa razão, a companhia para idosos que sofrem com ela é uma necessidade, minimizando riscos e garantindo a tranquilidade de toda a família.

Se você conhece mais pessoas que têm parentes com a doença e gostariam de saber mais sobre o Alzheimer em idosos, ou que se interessariam por dicas de prevenção, não deixe de compartilhar este conteúdo!

Categorias
Cuidados com idosos Idosos Pneumonia

Pneumonia em idosos: riscos e prevenção

Não há dúvida de que a pneumonia em idosos é um quadro preocupante. A doença infecciosa, caracterizada por uma inflamação do pulmão, pode ser ocasionada por bactérias, vírus ou fungos. Esses agentes penetram no espaço alveolar, prejudicando a troca gasosa. Trata-se de uma das principais causas de internações no país, afetando cerca de 900 mil pessoas anualmente.

Infelizmente, é comum que a doença afete os idosos, que são mais vulneráveis a ela. Isso porque a sua incidência aumenta com o avanço da idade. Seus impactos no organismo podem não ser perceptíveis no começo, o que atrasa o diagnóstico e agrava a situação. Quando não tratada a tempo, pode levar à morte, o que mostra a necessidade de estar atento aos sintomas e comportamentos de pessoas da terceira idade.

Para ajudar você a entender como a pneumonia afeta os idosos, seus fatores de risco e a importância de observar seus sinais, preparamos este artigo. Boa leitura!

Quais os fatores de risco da pneumonia em idosos?

Com o passar dos anos, as defesas do organismo dos idosos costumam se enfraquecer, tornando-os mais vulneráveis à pneumonia. Afinal, esse fator faz com que a exposição a microorganismos resulte em processos infecciosos com mais facilidade. Por essa razão, eles são considerados grupo de risco.

De acordo com o portal Boa Saúde, a partir dos 65 anos, aumenta o risco de ocorrência da doença, mas outros fatores também podem contribuir, e é preciso estar atento a eles. Confira os principais:

  • Presença de doenças crônicas associadas, como hipertensão, diabetes, asma e problemas cardíacos;
  • Falta de nutrientes no organismo;
  • Necessidade de hospitalizações recorrentes;
  • Alcoolismo e tabagismo;
  • Internação em clínicas ou casas de repouso;
  • Colonização de bactérias na cavidade bucal;
  • Utilização de sondas gástricas para alimentação.

Além desses fatores, existem mudanças naturais relativas ao envelhecimento que favorecem o surgimento da doença. Entre elas, a redução da força dos músculos que auxiliam na tosse, mecanismo de defesa do organismo contra infecções. Além disso, os pulmões tendem a sofrer mudanças nas estruturas, ocasionando menor tolerância a esforços e consequente diminuição na realização de exercícios físicos. Todas essas alterações favorecem o acúmulo de secreção no órgão, facilitando o desenvolvimento de agentes nocivos.

Quais os sintomas da pneumonia?

Nem sempre é simples identificar a pneumonia em idosos. Afinal, seu estágio inicial pode ser confundido com uma gripe ou um mal-estar. Além disso, o quadro clínico apresentado na terceira idade é muito diferente daquele que ocorre em indivíduos mais jovens, o que torna ainda mais difícil o diagnóstico.

Em geral, os sintomas da pneumonia são:

  • Tosse com catarro ou seca;
  • Febre;
  • Dor no tórax;
  • Falta de ar;
  • Cansaço;
  • Mal-estar geral;
  • Dor de cabeça;
  • Perda de apetite.

Enquanto, em pessoas jovens, é mais comum a presença de sintomas como tosse, febre e dor torácica, nos idosos, esses sinais não costumam aparecer. Na terceira idade, é mais frequente a presença de redução do apetite, confusão mental e desânimo, além de mudança na frequência de respirações.

Levando-se em conta que, em idades mais avançadas, a gravidade da pneumonia é maior, com risco de disseminação da infecção para o sangue, é fundamental diagnosticar e tratar a doença o mais rápido possível. Por essa razão, a atenção constante às mínimas alterações na saúde do idoso é um fator decisivo para o sucesso do tratamento.

Como prevenir a pneumonia em idosos?

As medidas necessárias para evitar a ocorrência da doença são simples. Conheça as principais:

Vacinação

A vacina da gripe é fundamental para a prevenção da pneumonia em idosos. Isso porque o agravamento da doença pode fazer com que os vírus cheguem ao pulmão. Também é importante vacinar o idoso contra o pneumococo, microorganismo que frequentemente leva à pneumonia bacteriana entre pessoas mais velhas.

Higiene

Lavar as mãos com frequência é um hábito benéfico que evita essa e muitas outras doenças. Mas uma boa higienização bucal também é muito bem-vinda quando o assunto é manter-se livre da pneumonia, uma vez que a presença de bactérias na boca pode ocasionar o quadro.

Cuidados gerais

Outros cuidados ajudam a manter os idosos livres da pneumonia, como uma alimentação balanceada, o controle de doenças crônicas e o posicionamento correto do leito, que, principalmente no momento das refeições, deve ser mantido com a cabeceira elevada.

Como é feito o tratamento da pneumonia?

Em geral, o tratamento da pneumonia é feito por meio de antibióticos, cujo diagnóstico e  escolha competem ao médico. Mas há quadros em que não há necessidade do uso desse tipo de medicamento, como nos casos de infecções virais. Em idosos, a doença pode ser tratada em casa ou no hospital, a depender da orientação do médico e da gravidade do caso.

Como tratamento complementar para a recuperação das funções do pulmão, pode-se realizar, sob orientação médica, a fisioterapia respiratória. Seu objetivo é melhorar a dinâmica respiratória, fortalecendo músculos e auxiliando na remoção de secreções. Utilizando estratégias não invasivas, essa técnica possibilita reverter ou minimizar as disfunções pulmonares ocasionadas pela pneumonia.

A pneumonia em idosos é uma doença preocupante, que representa sérios riscos à saúde. A efetividade de seu tratamento depende da rapidez do diagnóstico. Por essa razão, estar atento a anormalidades na saúde do idoso é essencial. Vale lembrar que, para oferecer atenção total a possíveis sintomas, uma boa opção é contar com um cuidador, que pode auxiliar, inclusive, na adoção de medidas preventivas.

Agora que você já sabe mais sobre esse problema, compartilhe o artigo em suas redes sociais para quem mais pessoas entendam sua gravidade e saibam da importância de um olhar atento à saúde dos idosos.