Categorias
Cuidados com idosos Idosos

6 dicas para melhorar a convivência com pais idosos

Manter um uma boa convivência com pais idosos pode ser um desafio, mas certamente vale a pena. Afinal, quem não deseja chegar à terceira idade tendo um bom relacionamento com os filhos? Contudo, para isso, você deve fazer a sua parte, exercitando sua paciência e empatia com os mais velhos, que podem ser mais sensíveis ou apresentar resistência a mudanças.

Os idosos sempre têm algo de bom a nos oferecer, seja uma boa história, um conselho ou o simples compartilhamento de suas experiências. Os filhos nem sempre sabem, porém, como ouvi-los e entender os desafios do envelhecimento. Cada fase da vida tem suas necessidades e especificidades, e é preciso ter consciência disso para manter uma relação próxima e saudável.

Se você busca uma convivência mais harmoniosa com os seus pais idosos, continue a leitura e confira as dicas que preparamos para ajudar!

1. Tenha paciência

Muitas pessoas que convivem com idosos acabam se cansando de algumas histórias, manias ou teimosias. No entanto, é preciso ter paciência diante dessas situações, além, é claro, de agir com carinho. Afinal, o idoso pode ter um temperamento difícil, mas também tem suas angústias e preocupações.

Para evitar discussões, deve-se manter a calma e refletir sobre suas atitudes, praticando a resiliência e a empatia. Mesmo que você não concorde com sua maneira de enxergar a vida, busque sempre entender as necessidades do idoso, colocando-se em seu lugar. Assim, fica mais fácil manter o diálogo e ajudá-lo a superar suas dificuldades. Antes de falar, respire fundo! A saúde mental de ambos agradece.

2. Priorize o respeito

A base de qualquer relacionamento saudável é o respeito, especialmente quando nos dirigimos a pessoas mais velhas. Entenda que seus pais têm sua própria experiência, aprendizados e costumes. Aceitar as diferenças é essencial para não criar atritos.

Embora algumas conversas possam ser realmente difíceis, nada justifica lançar sobre os mais velhos suas frustrações. Frases como “você vive às minhas custas” ou “estou lhe fazendo um favor” devem ser evitadas em toda e qualquer circunstância. 

3. Compreenda suas limitações

Uma boa parte das pessoas passa pelo processo de envelhecimento mantendo condições de saúde favoráveis. Mas é preciso entender que, com a terceira idade, podem surgir limitações. Ninguém escolhe ter dificuldades para ouvir, enxergar ou caminhar, não é mesmo? Portanto, a compreensão de seu momento na vida é bem-vinda quando o assunto é melhorar a convivência.

Não há dúvida de que idosos precisam se manter ativos, realizando diferentes atividades em seu dia a dia. Entretanto, mesmo tarefas simples podem se tornar um desafio após algumas mudanças do organismo. Observe todas as possíveis limitações e não peça que seu familiar faça algo que vá além de suas capacidades atuais, como serviços que demandem raciocínio rápido ou força física.

4. Incentive a descontração

Depois da aposentadoria, o idoso passa a dispor de mais tempo em casa. Muitas vezes, isso leva a uma diminuição do gasto de energia. Essa inatividade pode trazer prejuízos tanto à saúde corporal quanto mental. Não é raro encontrar idosos com quadros de estresse ou depressão, fator que se agrava ainda mais quando o convívio social é prejudicado.

Por essa razão, sempre que possível, incentive seus pais idosos a realizarem atividades divertidas. O lazer traz uma série de benefícios para quem já chegou na terceira idade, exercitando o cérebro, melhorando a autoestima e até a qualidade do sono. Um simples jogo de memória ou fazer o almoço juntos pode fazer a diferença no dia dos idosos e em seu relacionamento familiar. Aproveitem cada momento juntos!

5. Reconheça sua experiência

Manter a autonomia do idosos e ouvir suas opiniões é fundamental para uma boa convivência. Afinal, quem já chegou na terceira idade tem experiência de sobra e não deseja ter seus pontos de vista menosprezados, não é mesmo? Mesmo em situações cotidianas, se sua capacidade cognitiva permitir, dê ao seu familiar o direito de escolher entre várias opções. 

Outro modo de incentivar essa autonomia e fazer com que seus pais se sintam importantes é pedir conselhos ou sugestões. Acredite: quem viveu muitos anos tem mais coisas para ensinar do que nós imaginamos. Quando não concordar com algo e precisar argumentar, faça-o com respeito e carinho, sem elevar o tom de voz.

6. Incentive a adoção de hábitos saudáveis

Hábitos saudáveis são essenciais em todas as idades. Mas, com o envelhecimento, tornam-se ainda mais relevantes, tendo em vista a maior vulnerabilidade a algumas doenças. Diante disso, procure incentivar seus pais idosos a levarem uma vida mais saudável. Mais do que isso, peça o seu auxílio para que toda a família possa desenvolver esses hábitos de forma conjunta.

Também é importante estar atento à saúde do idoso e levá-lo ao médico regularmente. Isso porque, com receio de dar trabalho aos filhos, alguns pais não mencionam que estão se sentindo bem. Exames e consultas de rotina são fundamentais para identificar possíveis problemas e manter sua tranquilidade.

Agora, você já conhece alguns dos principais meios de se conseguir melhorar a convivência com pais idosos. Embora a terceira idade traga seus desafios e limitações, é possível, sim, ter uma relação harmoniosa com pessoas mais velhas. Basta ter paciência, sensibilidade e muita empatia. E, caso sua rotina não possibilite oferecer o suporte necessário, vale a pena investir em um cuidador, para que seu familiar tenha todo o apoio de que precisa em seu dia a dia.

Este conteúdo foi útil para você? Se tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar suas experiências, deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *