Categorias
Cuidados com idosos depressão em idosos

Depressão em idosos: como prevenir e identificar?

A terceira idade é uma fase da vida repleta de transformações. A carreira profissional se encerra, os filhos saem de casa, limitações ou problemas de saúde aparecem… Sem dúvida, não é fácil lidar com tantas mudanças, não é mesmo? Por essa razão, a depressão em idosos infelizmente é um quadro frequente.

É comum vermos idosos morando sozinhos e passando longos períodos sem conversar com alguém. Isso leva muitas pessoas a acreditarem que a solidão e a tristeza são normais nessa fase da vida. No entanto, esses sinais merecem, sim, atenção e podem ser indicativos de um problema mais sério.

Para ajudar você a entender os sintomas da depressão em idosos e os meios mais eficazes de evitá-la, preparamos este artigo. Continue a leitura e esclareça suas dúvidas!

O que é depressão

A depressão é uma das mais comuns condições mentais tratáveis. De acordo com o Ministério da Saúde, sua prevalência ao longo da vida no Brasil gira em torno de 15,5%. Entre os idosos, estima-se que 9,2% da população sofra com a doença.

Trata-se de um transtorno que acarreta alterações no humor, caracterizando-se por uma tristeza profunda, além de sentimentos como culpa, amargura e baixa autoestima. Como resultado, a rotina fica comprometida, uma vez que a depressão passa a interferir em atividades corriqueiras.

Entre os idosos, é comum que o quadro seja negligenciado. Afinal, nem todo mundo consegue identificar a depressão em idosos, tendo em vista que os sintomas são diferentes. Com isso, a qualidade de vida se perde, e não é à toa que nos deparamos com a triste realidade do aumento de suicídios entre idosos.

Sintomas da depressão em idosos

Imagine a seguinte situação: você está visitando seu pai e nota que ele não parece ter o ânimo de antes. Ele não quer mais realizar tarefas de que gostava e passa grande parte do dia dormindo. O que fazer? Embora todo mundo enfrente fases difíceis, não se pode ignorar sinais como esses na vida de um idoso.

Nem sempre a depressão em idosos é facilmente perceptível. Muitos não aparentam estar tristes, dificultando o diagnóstico. Além disso, alguns apresentam perda de memória ou dores, sintomas que acabam sendo associados a outras doenças. O transtorno também pode se apresentar de forma mais severa nessa fase da vida, com queixas somáticas, hipocondria, alterações do sono e perda de apetite.

A falta de energia para a realização de tarefas do dia a dia, a apatia e a tendência de se isolar socialmente são outros sinais que podem acompanhar um quadro depressivo. Em geral, toda mudança de comportamento requer atenção. Portanto, caso note algum desses sinais, não deixe de levar seu familiar a uma consulta médica.

Prevenindo a depressão em idosos

Algumas atividades simples e hábitos saudáveis podem contribuir para trazer bem-estar e melhorar a saúde mental do idoso, prevenindo a depressão. Entre eles, podemos citar:

  • Prática de atividades físicas;
  • Alimentação saudável e equilibrada;
  • Atividades lúdicas e recreativas que exercitem o cérebro;
  • Convívio com familiares e amigos.

Para manter a mente equilibrada, é fundamental ter uma rotina saudável e não se isolar socialmente. Em tempos de distanciamento social como os que vivemos em razão da pandemia de coronavírus, a família pode auxiliar virtualmente, utilizando os meios de comunicação com os quais o idoso tem mais familiaridade.

A importância da companhia para idosos

Ficar sozinho é um fator de risco para a depressão na terceira idade. Por isso, a companhia para idosos é de fundamental importância para a prevenção desse e de outros problemas. O contato humano estimula o cérebro e promove o autocuidado, além de melhorar a autoestima. Tudo isso contribui para uma melhor qualidade de vida.

Mas, afinal, como oferecer companhia para idosos em meio à correria da rotina? Nessa situação, é válido contar com um acompanhante, profissional capaz de oferecer suporte especializado no dia a dia do familiar. Ao auxiliar na adoção de hábitos saudáveis e acompanhar o idoso, ele minimiza os riscos de solidão, isolamento e depressão.

De olho nos sinais

O envelhecimento é um processo natural, porém complexo. As mudanças que o acompanham, como a aposentadoria, limitações do organismo e a perda de entes queridos podem prejudicar a saúde emocional se não houver um suporte efetivo. Por isso, a depressão em idosos tem se tornado cada vez mais frequente. 

Não é raro encontrar casos em que a doença passa despercebida. Afinal, algumas pessoas erroneamente consideram a tristeza e a solidão características da terceira idade. Além disso, os sintomas costumam ser diferentes, dificultando o diagnóstico. Portanto, estar atento a qualquer mudança de comportamento é fundamental.

Agora que você já sabe como identificar e prevenir a depressão em idosos, bem como a importância da companhia nessa fase da vida, leve essas informações mais longe! Compartilhe o artigo em suas redes sociais e ajude mais pessoas a ficarem atentas à saúde mental dos mais velhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *