Categorias
Cuidados com idosos idoso e covid

Quais são os principais cuidados após o período de internação por conta do Covid-19?

O pior já passou!  

Com toda certeza é um alívio estar em casa novamente, mas, muitas vezes, ainda é necessário cuidados para que a saúde volte ao equilíbrio, principalmente após o período de internação por conta do Covid-19.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) aponta para uma série de problemas, tanto para aqueles deixados pelo vírus, quanto os outros gerados pelo próprio processo de internação.

Hoje nós vamos conversar sobre estes problemas e quais são os principais cuidados para garantir que o paciente retorne o mais breve possível ao estado de segurança, bem-estar e qualidade de vida.

Aproveite a leitura!

Aspectos físicos e respiratórios 

Quando falamos sobre cuidados após o período de internação por conta do Covid-19 temos que nos lembrar que o paciente em questão,  pode ter passado por uma síndrome respiratória aguda grave (SARS). 

Neste caso, houve uma baixa na saturação dos músculos, ou seja, baixa presença de oxigênio, o que acarretou na internação. Sendo assim, o corpo deixará o período internado debilitado, necessitando assim de fisioterapia para recuperação pulmonar.

Além disso, não é incomum que pacientes precisem, por exemplo, de uma cadeira de rodas durante os primeiros 10 dias. 

Dessa maneira, qualquer exercício de recuperação deve ser especialmente indicado por um profissional competente. Uma vez que as circunstâncias do corpo são especialmente sensíveis. 


Tem mais, o próprio período de internação faz com que os músculos fiquem parados e tenham sinais de atrofia. O que pode gerar contusões e entorses, caso haja um esforço exacerbado.

O mais indicado é que o paciente passe por uma fisioterapia especializada. 

Fibrose nos pulmões

O Covid-19 se aloja especialmente nas células pulmonares e lá ele cria inúmeros problemas. O primeiro deles é o aumento de líquido nos pulmões, o segundo é o surgimento de fibroses.

As fibrose são “cicatrizes” deixadas pela “batalha” entre o Covid-19 e o sistema imunológico. 

Quando o paciente passou por uma internação com mais de 20% do pulmão comprometido, é provável que o número de fibroses seja tal que este paciente jamais tenha a mesma saúde pulmonar.

Isso significa que este paciente passará, com mais frequência, por situações, como:

  • Falta de ar
  • Incapacidade de fazer exercícios físicos com o mesmo vigor apresentado antes da infecção 
  • Falta de capacidade pulmonar – utilizada para tocar instrumentos de sopro, por exemplo, ou praticar mergulho.

Isso para mencionar apenas os três principais.

Entretanto, pouco a pouco, é provável que o corpo se adapte ao “novo estado permanente do pulmão” e o paciente se sinta menos cansado com tanta frequência.

Mais uma vez, para cuidar desse problema é necessária a presença de uma equipe treinada. Uma vez que cada caso deverá ser observado e tratado em particular. 

Aspectos cognitivos e cerebrais

Em matéria publicada pela revista Veja, são mostrados os dados de como a internação causada pelo Covid-19 impacta na vida dos pacientes. Segundo a matéria, as principais sequelas deixadas pelo coronavírus incluem:

  • Problemas nos rins
  • Pulmões
  • Coração
  • Além de problemas cerebrais

Os três primeiros pontos são bem conhecidos, e já falamos especificamente dos pulmões, entretanto, este último, problemas cerebrais, requer atenção total.

Problemas mentais pela internação por conta do Covid-19

Há dois sintomas alarmantes causados pelo Covid-19 em diversos pacientes que passaram por um período de internação: confusão e delírio. Aponta uma segunda matéria, essa publicada pela BBC.

Os sinais mais claros são de estresse pós-traumático. Quando o paciente vive uma experiência na qual não tem o controle sobre a sua segurança e depois transfere essa sensação de fragilidade para o cotidiano.

É comum que pacientes pós internados, que tiveram crises respiratórias graves em estado acordado, sintam sintomas parecidos com a falta de ar e a agonia causada pela Covid-19.

Nesses cenários, o melhor a ser feito é contar com a ajuda de uma equipe médica responsável pela readaptação deste paciente.

Entretanto, pode ser que nem todos os sintomas sejam psicossomáticos, ou seja, gerados pelo psicológico do paciente. Nestes casos, o acompanhamento de um médico é fundamental, para avaliar o que de fato é um problema pulmonar e o que é uma reação psicossomática à uma situação de estresse.

Relação entre a segurança e o estresse

Depois de entendermos os principais problemas físicos e mentais causados por uma internação em decorrência do Covid-19, podemos enxergar a relação entre segurança e estresse.

É indiscutível que a experiência da internação deixa marcas psicológicas. Já que o paciente terá vivido uma situação potencialmente perigosa. Vítima de uma doença desconhecida e alarmante. 

Tem mais, as sequelas físicas geram uma situação nova de fragilidade. Uma pessoa ativa, por exemplo, que depois venha a viver as dificuldades motoras do período pós internação, pode acabar sendo levada a um estado de letargia, desânimo e até melancolia.  

Readaptação da família – uma nova fase para todos

Sendo assim, a readaptação da família também é fundamental nesse processo. O paciente recém chegado do período pós internação por conta do Covid-19 requer cuidados especiais.

E a família também precisa compreender que precisará passar por uma etapa de adaptação. Garantindo que este paciente tenha uma vida ativa, dinâmica, acolhedora e possa, dia após dia, voltar a normalidade.

Leveza, bem-estar e qualidade de vida

Com os cuidados certos e o tempo correto de espera, será possível recuperar a leveza, o bem-estar e a qualidade de vida de todos os pacientes que passaram pela terrível experiência de uma internação por conta do Covid-19.

Quer saber mais sobre o assunto? Acesse agora mesmo o nosso site e conheça como podemos auxiliar você e a sua família em um momento tão delicado.

Agradecemos a leitura e até a próxima! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *